“Não tem elenco rachado”. É o que garante o zagueiro Léo com relação ao atual plantel do Cruzeiro, que vive um momento conturbado nas quatro linhas. A 16ª colocação no Brasileirão, após quase um turno de disputa, tem provocado uma série de protestos por parte de torcedores – sejam eles na Toca II, na Sede do Barro Preto, no Independência ou mesmo em frente a casas de dirigentes do clube.

Apesar de ter vivenciado outras brigas contra o rebaixamento pela Raposa, como se deu em 2011, 2015 e 2016, Léo confessa que o momento atual é ainda mais complicado, diante de tantas situações incômodas que vêm acontecendo com a agremiação dentro e fora de campo.

“Nunca passamos por isso. Recentemente fomos campeões mineiros e pudemos chegar à semifinal da Copa do brasil. É um elenco que tem em sua maioria jogadores campeões. Ninguém se conforma por essa situação. Todos sabemos que é necessário dar algo mais, incluindo jogadores, comissão, direção e torcedor, para sairmos dessa situação”, disse o beque.

A entrevista coletiva, aliás, foi marcada pela repetição desse discurso. “Momento de nos unirmos. Temos buscado nos fortalecer juntos. Precisamos unir forças. E só vamos sair dessas juntos. O torcedor faz diferença nisso, ainda mais num momento importante como este. O torcedor vai fazer diferença para sairmos dessa”, frisou.

Neste sábado (14), às 19h, o Cruzeiro enfrenta o Palmeiras, de Mano Menezes, no Allianz Parque, pela última rodada do turno da competição nacional.