Jogador mais experiente do elenco do Santos, com 36 anos, Renato entra em campo nesta quarta-feira (25) para mais uma decisão pela equipe alvinegra. No currículo estão dois títulos brasileiros, em 2002 e 2004, e o do Campeonato Paulista deste ano. Agora ele quer ser campeão da Copa do Brasil e, no próximo ano, brigar pela Copa Libertadores, conquista que deixou escapar em 2003.

A experiência do volante tem sido fundamental para o técnico Dorival Júnior. Dentro de campo, discreto, Renato é responsável pela sustentação defensiva ao lado de Thiago Maia e pelo início da movimentação ofensiva. Fora, é um dos líderes do elenco, sempre procurando orientar os mais jovens.

"Procuro passar para eles como é bom ser campeão, como é gratificante ver o resultado do trabalho. É isso que procuro passar. Depois de ser campeão, você quer ser sempre. Desde meu primeiro título, em 2002, vi como é bom ser campeão. Tem de aproveitar o máximo e tem que ter essa ambição", afirmou Renato.

Por isso, na concentração da equipe, quando os jogadores procuram se ocupar e descansar, o volante exerce o papel de liderança que tem sido tão importante. Os momentos que antecedem uma final são sempre de muita ansiedade, principalmente para os menos experientes. "Converso mais com um ou outro por se tratar de decisão."

O próprio Renato tem um ritual de preparação. O futebol fica em segundo plano até acordar na manhã do dia da partida. 'Fico vendo filme ou escutando música. Procuro me desligar do futebol", contou o volante, que espera que tudo saia como o planejado na Vila.