Em 15 anos de carreira, Réver coleciona passagens por grandes clubes do futebol brasileiro. Entre conquistas, idolatria e momentos marcantes, o camisa 4 do Atlético costuma assumir um papel de liderança em todos os clubes em que atuou.

No Flamengo, adversário do Galo neste sábado (18), às 19h, no Independência, pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro, não foi diferente.

Quando defendeu a equipe rubro-negra entre 2016 e 2018, o defensor, assim como no Atlético, ostentava a braçadeira de capitão, e era titular incontestável da defesa do time carioca. Pelo Flamengo foram 135 jogos e 11 gols marcados.

Com a camisa do time de Zico, Réver enfrentou o Galo em cinco oportunidades, venceu duas, empatou outras duas, e saiu derrotado uma vez.

De volta ao Atlético, o defensor assumiu o papel de Leonardo Silva, que está próximo da aposentadoria, como referência da zaga atleticana.

Com 24 gols em 195 jogos, o camisa 4 é o segundo maior zagueiro artilheiro da história do clube, atrás apenas do próprio Léo Silva, que tem 35 bolas na rede.

Confronto direto

No primeiro reencontro com o Flamengo, Réver é uma das armas do técnico Rodrigo Santana para voltar a vencer no Brasileiro, e se manter na parte de cima da tabela.

Com nove pontos em quatro jogos, o alvinegro ocupa a quarta colocação na classificação, um ponto atrás de Palmeiras, São Paulo e Santos, que dividem a liderança. Com isso, um triunfo sobre o Flamengo pode recolocar o Galo na ponta do campeonato.

Entretanto, um revés diante do Rubro-Negro pode fazer com que o Atlético despenque na tabela, perdendo várias posições, inclusive para o time carioca, que atualmente ocupa a sétima colocação, com sete pontos.