De malas prontas para voltar à Série A do Brasileiro, o América vai para as últimas seis rodadas da Segundona em busca do tricampeonato – o clube detém os títulos de 1997 e 2017. Além disso, esta reta final ganha um outro sentido, na visão do técnico Lisca, que também já mira a próxima temporada.

"Valorizar bem este final de campeonato, curtir bem este final de campeonato. Aproveitar este último mês de convivência desse grupo, porque o América vai seguir, e o trabalho vai seguir, mas muitos jogadores não vão estar aqui. Eu ainda estou conversando com a diretoria para ver como vai ser a sequência. Porém, a gente quer aproveitar muito e curtir, aproveitar essa parceria profissional que fizemos entre clube, comissão, jogadores e torcida”, destacou o comandante alviverde.

Ele ressaltou ainda que o elenco americano se desgastou muito no último mês, devido à maratona de partidas, incluindo algumas ‘decisões’, e que, por isso, pode traçar uma nova estratégia para os próximos embates. 

“Vou trabalhar com o melhor que temos. Daqui a pouco, podemos utilizar um ou outro jogador que atuou menos e não botar atletas no limite do limite. Vamos definir a melhor estratégia para buscar a melhor pontuação possível e, se Deus quiser, levar o campeonato. No entanto, mais importante que o título é o acesso. A Série B tem quatro campeões, os quatro que conseguem o acesso", disse.

Série A

Apesar da possibilidade de um ‘desmonte’ do plantel atual, Lisca está muito convicto de que 2021 reservará ótimos momentos ao Coelho em âmbito estadual e nacional.

"O América é bicampeão da competição (Série B), e o tri seria bem legal. Mas é importante também preparar a equipe para o Mineiro e a Série A. E se a gente ganha (a Segundona), talvez este seja nosso último título da Série B. Queremos permanecer na Série A, parar de ganhar a Série B, e nos consolidar como clube forte, tradicional, de um projeto lindo de se transformar em clube-empresa e crescer ainda mais", afirmou.

Por fim, destacou que, apesar da eliminação nas semifinais da Copa do Brasil, a bela campanha feita pelo time no torneio se torna um combustível extra para a próxima edição: "Quem sabe na próxima, a gente não vá fazer a final da competição?".

América