ANAHEIM (Califórnia) - Nesta sexta-feira (21), durante a última sessão do Congresso Mundial da Federação Internacional de Voleibol (FIVB), em Anaheim (EUA), o brasileiro Ary Graça foi eleito o novo presidente da entidade. O mandato vai durar pelos próximos quatro anos.

O dirigente da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e da Confederação Sul-americana de Voleibol (CSV) derrotou o australiano Chris Schacht e o norte-americano Doug Beal na eleição, considerada a primeira democrática da FIVB, já que todas as anteriores contaram apenas com um único candidato.

Ary Graça é o quarto presidente da história da entidade. O francês Paul Libaud (1947 a 1984), o mexicano Rubén Acosta (1984 a 2008) e o chinês Jizhong Wei (2008 a 2012). Além disso, ele é o segundo brasileiro a dirigir uma federação esportiva internacional, sendo que o pioneiro foi João Havelange, ex-presidente da Fifa.

Cada candidato teve 15 minutos para apresentar as propostas e Ary Graça focou na sua gestão bem-sucedida à frente da CBV e também como diretor da FIVB. O dirigente citou a idealização e a criação da Continental Cup.

"Durante a minha campanha, eu falei muito pouco. Eu queria ouvir vocês, entender as suas necessidades, as suas realidades. Vocês sempre terão voz comigo", destacou, antes de ser aplaudido por presidentes e delegados das federações.

Com 69 anos de idade, Ary Graça está na CBV desde 1997. Durante a sua gestão, o vôlei brasileiro viceu o período mais próspero da sua história, chegando a 240 pódios e 142 títulos, sendo quatro medalhas de ouro olímpicas e várias conquistas em nível mundial.

Fora das quadras, grandes feitos foram realizados, tais como a inauguração do Centro de Desenvolvimento do Voleibol, em Saquarema (RJ), no ano de 2003. O local também é conhecido como Aryzão e é considerado o mais moderno centro de treinamento de vôlei do mundo.

Outra grande conquista se deu em termos sociais. Desde 1999, o VivaVôlei promove a integração e inserção social de crianças carentes por meio do vôlei. Em 13 anos, mais de 200 mil meninos e meninas de 7 a 14 anos já foram atendidos. Atualmente, o programa social está em 14 estados e mais de 40 cidades.

Em termos de gestão, a CBV passou por uma profunda reestruturação administrativa. Sob o comando de Ary Graça, a entidade desenvolveu o modelo de unidades de negócios, reconhecido em 2002 pela FIVB como referência internacional. O sistema foi recomendado a todas as demais federações nacionais do mundo.

Paralelamente ao trabalho na CBV, Ary Graça desenvolveu projetos em nível internacional. Como diretor de vôlei de praia da FIVB, o brasileiro foi responsável pela criação da Continental Cup, torneio que levou a modalidade a 142 países do mundo e ofereceu 14 vagas para a última edição das Olimpíadas.