A partida entre RJX e Minas também agita a rotina dos jogadores do Cruzeiro, primeiro finalista da Superliga Masculina de Vôlei 2012/13. Amigo do treinador do clube mineiro, o argentino Horacio Dileo, o técnico cruzeirense Marcelo Mendez até mantém um discurso “politicamente correto”, dizendo que não escolhe adversário e que não nutre preferências sobre quem gostaria de enfrentar na decisão do dia 14. O que não é seguido pela maioria dos seus comandados.

Experiente, o líbero Serginho fala abertamente sobre a final ideal. “A decisão dos sonhos seria Cruzeiro e Minas. Estou torcendo para o Minas conquistar a vaga. Estarei até o último segundo da partida desejando isso”, garante.

A justificativa é simples. “Primeiro, por ser outra equipe mineira. Segundo, para dar mais visibilidade ao Estado, que sempre teve representantes em finais, mas nunca foram valorizados. Poucas vezes comentam sobre nós na mídia do eixo Rio-São Paulo. Agora é a hora de torcer por nós”, explica o ex-minas-tenista, que defende o Cruzeiro desde 2010.

O central Douglas Cordeiro também assume a torcida. “O vôlei mineiro sempre teve tradição. Será prazeroso reforçar isso ainda mais para o restante do país. Jogar uma final de Superliga já é emocionante, imagina sendo um clássico então? Seria perfeito”, garante o meio de rede celeste.