Dominic Thiem confirmou nesta sexta-feira (10) a condição de ser um dos poucos tenistas com melhor retrospecto contra Roger Federer. Pelas quartas de final do Masters 1000 de Madri, o austríaco, o quinto colocado no ranking da ATP, superou, de virada, o suíço e número 3 do mundo por 2 sets a 1, com parciais de 3/6, 7/6 (13/11) e 6/4, em 2 horas e dez minutos.

Esta foi a terceira vez consecutiva que Thiem avançou às semifinais em Madri. E, para isso, salvou dois match points de Federer, que não atuava no saibro há três anos. Agora, então, vai buscar a terceira final consecutiva do Masters 1000 espanhol.

Federer teve grande atuação no primeiro set, quando abriu 3/0, depois o fechando em 6/3. Mas o suíço perdeu a chance de vencer o duelo no tie-break da segunda parcial, em que chegou a estar em vantagem de 3/0 e desperdiçou dois match points antes de sucumbir por 13/11.

No terceiro set, Thiem abriu 3/1, perdeu o saque no oitavo game, mas converteu break point na sequência. E confirmou o serviço no décimo game para fazer 6/4, definindo a sua vitória de virada. E, curiosamente, também havia sido Thiem, em 12 maio de 2016, no Masters 1000 de Roma, o último tenista a vencer o suíço no saibro.

O triunfo de Thiem se deu apenas um dia após Federer somar a 1.200ª vitória da sua carreira, em que salvou dois match points do francês Gael Monfils. Agora, então, perdeu em um cenário parecido, sofrendo a quarta derrota em seis confrontos com Thiem.

Classificado às semifinais do Masters 1000 de Madri, o austríaco agora terá pela frente o sérvio Novak Djokovic, que nem precisou atuar nesta sexta-feira, pois o croata Marin Cilic desistiu do evento por causa de uma infecção estomacal.

Leia mais:
Tenista Ymanitu Silva será 1º brasileiro em cadeira de rodas em um Grand Slam
Nadal bate norte-americano e avança às quartas em Madri; Soares cai nas duplas
Federer salva 2 match points, bate Monfils e avança em Madri; Brasil perde 100%