Ao contrário do que estava sendo especulado no último mês, Michael Schumacher estava apenas 4,5 metros fora da pista no momento do acidente, mas foi projetado por mais de 10 metros após bater na primeira rocha. As informações foram divulgadas pelo jornal alemão "Bild", que teve acessos aos relatórios da investigação do caso.

Depois de ser catapultado pelo primeiro choque, Schumi bateu com força o lado direito da cabeça na segunda rocha, o que causou a quebra de seu capacete em vários pedaços. Apesar da força da pancada, a câmera portátil que estava na parte central do equipamento de proteção continuou intacta.

Com o alemão internado no Centro Hospitalar Universitário de Grénoble , na França, há mais de um mês, os médicos começaram a reduzir a sedação para iniciar seu processo de despertar, no final de janeiro. Segundo Sabine Kehm, assessora do ex-piloto, ele ainda não apresentou respostas aos estímulos.

Ao contrário das partes permitidas das pistas de esqui, que são cuidadas pelas estações, as áreas fora das limitações não passam por um processo de cuidado e apresentam maiores desafios aos esquiadores mais experientes, já que contêm pedras, árvores e neve fofa.