Império mineiro

Nesta sexta-feira, Praia Clube e Minas Tênis iniciam mais uma decisão de Superliga Feminina

Thiago Prata
@ThiagoPrata7
22/04/2022 às 09:00.
Atualizado em 22/04/2022 às 11:13
 (Orlando Bento/Minas Tênis Clube)

(Orlando Bento/Minas Tênis Clube)

A temporada 2021/22 é marcante para o voleibol mineiro, por ser a primeira vez na história da Superliga em que as finais do feminino e do masculino terão apenas equipes do Estado como protagonistas. Entre os homens, Fiat/Gerdau/Minas e Sada/Cruzeiro vão decidir o título. Já entre as mulheres, trata-se da terceira edição em que Dentil/Praia Clube e Itambé/Minas brigam pela taça.

O primeiro capítulo da final da Superliga Feminina será nesta sexta-feira (22), às 21h. O segundo confronto acontece em 29 de abril, no mesmo horário. Se necessária, uma terceira partida ocorrerá em 3 de maio, às 21h30. Os duelos serão realizados no ginásio Nilson Nelson, em Brasília (DF), e terão transmissão do SporTV e também da NSports por meio do Canal Vôlei Brasil.

Torcedores de Praia e Minas ficaram na bronca com a decisão da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) de escolher um local neutro para os jogos da final feminina.

No último dia 16, no entanto, a CBF divulgou um comunicado explicando essa situação: “No caso da Superliga feminina, os clubes solicitaram que a própria CBV fosse responsável pela organização das finais. Por isso, as partidas serão realizadas em um local pré-estabelecido, independentemente dos times classificados, procedimento que também ocorre em competições de outros esportes, como o futebol. Todo o processo foi acompanhado e aprovado pelos clubes”.

‘Remake’

Esta será a terceira vez que Praia Clube e Minas Tênis Clube decidem a Superliga Feminina. E nas duas vezes anteriores, as minastenistas terminaram com o título, primeiro em 2018/19 e repetindo a dose em 2020/21. A edição 2019/20 foi cancelada por conta da pandemia da Covid-19.

Na primeira final entre os dois times, o Minas venceu dois duelos, por 3 sets a 2 e 3 a 1, não havendo a necessidade de um terceiro confronto. Em 2020/21, a equipe da Rua da Bahia precisou de três jogos para angariar o troféu: após derrota por 3 a 1, ganhou os dois embates seguintes, por 3 a 1 e 3 a 2.

Agora, o Praia quer construir uma história diferente, erguendo a taça da Superliga depois de quatro anos (em 2017/18, bateu o Sesc-RJ na final), enquanto o Minas tenta manter a hegemonia.

Campanhas

Na primeira fase, o Praia terminou na liderança, com 58 pontos, três a mais que o Minas, o segundo colocado. No mata-mata, o time de Uberlândia eliminou o Pinheiros (nas quartas) e o Sesc/Flamengo (semifinais), enquanto as minastenistas desclassificaram Barueri (quartas) e Sesi/Bauru (semi).

Ainda na etapa classificatória, o Praia superou o rival duas vezes. Na Arena Minas, venceu por 3 sets a 2 (25/16, 25/11, 20/25, 23/25 e 15/8). E Na Arena Dentil, repetiu o placar, com parciais de 25/20, 17/25, 15/25, 25/21 e 15/10.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por