A melhora do Atlético no decorrer do jogo contra o Fluminense, no último sábado (16), pode ser diretamente relacionada com a entrada de Cazares durante a segunda etapa da partida. Também por esse motivo, o equatoriano deve voltar a ser titular da equipe neste domingo, contra o Athletico-PR, no Mineirão. 

No entanto, o técnico Vagner Mancini explicou que a ida de Cazares para o banco de reservas fez parte de uma estratégia particular para a partida no Rio de Janeirom e que o equatoriano tem o status de titular.

a

"Ele, hoje, é titular do time. Reconheço isso, sei que a partir do momento quer fizemos um grande jogo contra o Goiás, a participação dele foi muito boa. No clássico também, apesar de ter sido um jogo mais tenso. A saída dele do jogo contra o Fluminense foi uma estratégia de colocar dois meninos da base para dar uma velocidade diferente e ele entrar no segundo tempo de jogo", declarou o treinador

Além das atuações diante de Goiás e Cruzeiro, Mancini elogiou o desempenho do meia no período de preparação para encarar o Furacão. 

"Ele teve uma semana muito boa de treinamento. É um atleta que eu conto, que sei da sua qualidade e daquilo que ele pode desempenhar dentro de campo" disse.

Outro que também sentou no banco de reservas na partida contra o Fluminense foi o goleiro Victor. Fora da equipe por conta de uma tendinite no joelho esquerdo desde julho, o ídolo atleticano voltou a ser relacionado contra o Tricolor das Laranjeiras.

Diferentemente de Cazares, Victor vai permanecer entre os suplentes. Apesar de confirmar que deseja dar uma chance ao goleiro ainda este ano, Mancini avalia que o momento é de Cleiton.

“Penso muito sobre isso. É lógico que temos de dar para o Victor uma condição de ele entrar num jogo mais ameno. E ele sabe disso. Não é momento. O Cleiton vem em bom momento. Talvez em outra oportunidade podemos dar ao Victor a chance. Fizemos dois jogos contra o sub-20. É um desejo nosso que ele volte até o fim do ano”, comentou.

Punições

Em julgamento realizado nessa quinta-feira (22), o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) determinou a perda de um mando de campo e multa de R$130 mil ao Atlético por conta dos incidentes ocorridos no último clássico contra o contra o Cruzeiro, no Mineirão. 

Apesar de o clube ainda poder recorrer da decisão do STJD, Mancini questionou as punições impostas ao Atlético, que podem acarretar até na perda de um mando de campo ainda neste Brasileirão.

"A gente não consegue entender porquê o Atlético é multado. O mando de jogo é do Cruzeiro e o Atlético é multado em R$130 mil. Sinceramente, eu vislumbro um Brasil diferente, um futebol onde todos os torcedores sejam cadastrados e respondam por si, porque você não pode ficar jogando em cima do clube uma obrigação que foge da alçada. Aí você perde mando, uma multa para se pagar, hoje ningém joga dinheiro fora", afirmou o treinador.