O jogo entre Dijon e Amiens, nesta sexta-feira (12), pelo Campeonato Francês, foi interrompido no segundo tempo por um episódio de racismo. O capitão do Amiens, o zagueiro Prince Guoano, reclamou que a torcida do time da casa imitava macacos quando ele pegava na bola. Após a queixa do jogador, houve confusão entre as equipes e a partida chegou a ficar interrompida por três minutos.

Gouano se irritou com a manifestação racista, ocorrida aos 32 minutos do segundo tempo. O capitão do Amiens deixou o campo e se dirigiu à torcida adversária, para reclamar com os autores da ofensa racial. Bastante irritado, o jogador precisou ser acalmado pelos colegas de clube. Logo depois, o árbitro Karim Abed interrompeu a partida, que acabou empatada sem gols.

Os times se retiraram de campo e só retomaram o jogo depois de o sistema de som do estádio realizar um alerta ao público para não repetir a conduta racista. O empate manteve tanto Dijon quanto o Amiens na parte de baixo da tabela de classificação. Na saída de campo, Gouano desabafou ao canal de TV BeIn Sports. "Estamos no século XXI. É inadmissível. Pedi para pararem o jogo. Somos dois iguais, somos seres humanos", comentou o defensor.

Depois da partida, a Liga Francesa prometeu estudar o caso. "Nesta noite, o Dijon identificou o autor dos insultos racistas, que logo foi detido", disse a entidade em nota. A organização do campeonato prometeu discutir o incidente na reunião da Comissão de Disciplina, na quarta-feira.

O presidente do Dijon, Olivier Delcourt, prometeu tomar providências. "O que houve hoje foi muito grave", comentou. O dirigente afirmou que a equipe vai apresentar uma denúncia contra o autor das ofensas.