Em entrevista coletiva concedida após a grande vitória do Cruzeiro por 3 a 0 contra o Huracán, que garantiu a classificação da Raposa para a próxima fase da Libertadores com duas rodadas de antecedência, o técnico Mano Menezes elogiou bastante a atuação de seus comandados.

“Acho que o Cruzeiro foi superior porque é uma equipe mais madura, mais preparada, mais equilibrada, que não só ataca e hoje foi atacado, porque eles jogaram pra frente, de uma maneira bem agressiva porque a eles só interessava a vitória e eu gosto quando o Cruzeiro tem respostas fortes para jogos fortes. Teremos jogos fortes pela frente e vamos atacar”, disse o treinador.

Durante o segundo tempo, com a partida já definida, a torcida começou com o tradicional grito de “olé” no Gigante da Pampulha, mas o que chamou a atenção foi a reação de Mano, que pediu para que os cruzeirenses parassem com aqueles gritos e cantassem músicas da equipe.

“Você muitas vezes cria um problema para os jogadores lá dentro, então acho mais bonito terminar cantando com terminou os últimos cinco minutos, estádio bonito, o torcedor feliz e acho que o “olé” a gente pode deixar, porque as vezes irrita o jogador adversário, você toma um pontapé, machuca um jogador importante, perdemos pra temporada por causa de uma coisa que acho que perfeitamente a gente pode deixar pra lá”, explicou o técnico da Raposa.

Rodízio

Mano Menezes seguiu com a estratégia de rodar a equipe nessa importante sequência de jogos de sua equipe. Já com situação bem encaminhada mesmo antes da partida que garantiu a classificação para a próxima fase, o comandante gaúcho pôde pensar, mesmo que de forma breve, na decisão do Campeonato Mineiro diante do Atlético.

Na vitória diante do Huracán, foi a vez dos laterias Egídio e Edílson serem poupados. Dodô e Ojejuela foram os substitutos escolhidos pelo treinador. Como toda a equipe, os dois tiveram grande atuação. Pela esquerda, Dodô foi um dos grandes destaques da equipe, marcando um belíssimo gol e servindo Fred para marcar seu terceiro tento na partida.

O lateral comemorou seu gol durante a entrevista que concedeu ao lado de seu técnico.

“Fico bastante feliz pelo gol, óbvio que não é muito comum o lateral esquerdo fazer gol, muito menos com perna direita, então é uma particularidade, mas é uma coisa que venho treinando há muito tempo, tenho essa característica, por ter um passado jogando no meio de campo, então eu gosto bastante de trazer a bola pra dentro”, comentou o lateral.