“Não é o fim do mundo”. Assim definiu o técnico Mano Menezes após a derrota do Cruzeiro por 2 a 1 para o Emelec, do Equador, nessa quarta-feira (8), no Mineirão, pela sexta rodada do grupo B da Copa Libertadores.

Apesar do revés, Mano avaliou que a equipe celeste criou oportunidades de vencer a partida, e lamentou o gol do time equatoriano, já nos minutos finais do duelo, quando a Raposa pressionava o adversário em busca da virada no placar.

O Emelec voltou à frente do placar já aos 44 minutos da etapa final, depois que Edilson, ao tentar parar o contra-ataque do adversário, cometou penalti em Angulo. O próprio atacante dos "Elétricos" converteu a cobrança e sacramentou o triunfo. 

“Cometemos um pecadinho nos últimos minutos, quando buscamos a vitória e tomamos um gol de um pênalti em um contra-ataque, o que não pode acontecer naquela hora do jogo. O empate já nos dava a melhor campanha. Então, a gente poderia ter administrado um pouquinho diferente essa última parte. Mas criamos o suficiente para ganhar o jogo no segundo tempo, criamos oportunidades”, afirmou Mano. 

Em relação ao fim da invencibilidade no principal torneio do continente, o comandante estrelado mostrou tranquilidade, afirmando que o resultado gera importantes lições para o time.

“Às vezes a gente perde, e talvez seja bom, para aprendermos determinadas coisas, para estarmos preparados lá na frente. Nunca é bom perder em casa, mas está numa hora agora de começarmos a nos preparar para jogos mais importantes. São coisas importantes que nós, como torcida, como time, como clube, vamos aprendendo que agora é a hora que começam decisões, e decisões têm um outro caráter, tanto pra nós, como para o nosso torcedor, como para todo mundo. Perdemos. Infelizmente, perdemos”.

Sobre os primeiros gols sofridos no torneio, Mano mostrou a mesma serenidade, tirando o peso do fato do time ter perdido a chance de encerrar a fase de grupos do campeonato sem ser vazado.

“Não é normal uma equipe passar a primeira fase sem tomar gols. O Cruzeiro é que chegou a essa situação na última rodada sem tomar gols. Isso é mérito do Cruzeiro. O fato de ter tomado dois gols (para o Emelec) não é o fim do mundo, não é bom, claro que não é bom, mas nós não somos uma defesa imbatível, nós não somos um time imbatível. Tivemos outros jogos em que quase sofremos gols, e que Fábio fez grandes defesas. Isso é o menos importante de tudo isso. A expectativa quem cria é fora”.

Enquanto aguarda a definição do adversário das oitavas de final da Libertadores, que será definido na próxima segunda-feira, em sorteio na sede da Conmebol, o Cruzeiro volta o foco para o Campeonato Brasileiro.

A equipe celeste vai em busca da terceira vitória seguida no torneio contra o Internacional, no domingo, às 16h, no estádio Beira Rio, em Porto Alegre.