Mano Menezes ainda não abriu mão do meia Arrascaeta para o segundo e decisivo duelo entre Cruzeiro e Corinthians pela final da Copa do Brasil de 2018. Após a vitória azul por 1 a 0 nesta quarta-feira (10), o treinador "apelou" ao colega Óscar Tabárez, da Seleção Uruguaia, para poder contar com o armador na luta pelo hexacampeonato.

"Dezesseis é o número cabalístico, é o horário (16h) que ele chega em São Paulo no dia do jogo. Vamos ver. Quem sabe o coração de mestre Tabárez não dê uma amolecida e ele pense um pouquinho na gente? Vamos esperar", declarou o comandante, em tom bem-humorado, na entrevista coletiva após o duelo de ida com o Timão.

A partida da volta será disputada na próxima quarta-feira (17), às 21h45, na Arena Itaquera, em São Paulo. Como a Celeste Olímpica tem amistoso marcado para o dia anterior, com a Coreia do Sul, o camisa 10 poderia não chegar em condições de ir a campo, principalmente se for escalado diante dos asiáticos.

O camisa 10 chegou a solicitar a dispensa da convocação, mas não teve o pedido atendido pela federação do país. Desta maneira, a esperança da comissão técnica estrelada é que ele seja poupado ao menos no segundo compromisso do Uruguai nesta Data Fifa (antes, a equipe sul-americana enfrenta a Coreia do Sul, no dia 12).

Ao desembarcar em São Paulo, Arrascaeta será avaliado e, se estiver fisicamente apto, poderá ser relacionado ao menos para o banco de reservas na finalíssima. Pelo Twitter, o uruguaio comemorou a vitória e parabenizou os colegas:

 

 

No sacrifício

Substituto do camisa 10, o meia Rafinha deixou o gramado do Mineirão com uma proteção na perna e se queixando de dor. Segundo ele, porém, a situação não preocupa para o segundo jogo da decisão.

"O Arrascaeta é um grande jogador, qualquer um que jogar no lugar dele será difícil de suprir essa ausência. Estou tentando ajudar. Senti a panturrilha no último treino, mas fiz um tratamento para poder jogar, porque numa final a gente tem que ir para o sacrifício. Agora é descansar para poder estar 100%", declarou.