O aproveitamento de 64,3% que o Atlético tem no Campeonato Brasileiro neste momento, projetado para as 38 rodadas da competição, dá exatamente 73 pontos, marca que garantiria o título nas 13 edições que já foram disputadas por 20 clubes, sendo a primeira delas em 2006.

Em 2012 e 2018 tivemos os melhores vice-campeões dos pontos corridos desde que o torneio passou a ser disputado por 20 clubes, em 2006. Foram eles Atlético e Flamengo, que chegaram aos 72 pontos.

Diante deste cenário, bastaria ao time do técnico Rodrigo Santana manter nas 24 rodadas restantes o mesmo que fez nas 14 já disputadas?

Provavelmente não. E quem garante isso é o professor Gilcione Nonato da Costa, responsável pelo site Probabilidades no Futebol, mantido pelo Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

“Neste ano temos mais times com rendimento acima da média. Sempre se dizia que dois pontos por jogo (76 no total) seria uma margem segura para se garantir o título. Este ano, muito provavelmente, isso pode não acontecer”, afirma Gilcione.

tabela 2

Assim, segundo o professor da UFMG, a Série A do Campeonato Brasileiro de 2019 pode ter o melhor campeão da sua história. E isso seria impulsionado pelo fato de a competição ter também, provavelmente, o melhor vice desde que passou a ter 20 clubes. 

Pelo desempenho, Gilcione vê os quatro integrantes do G-4, que são Santos, Palmeiras, Flamengo e Atlético, muito fortes e destaca ainda o quinto colocado, São Paulo, que tem um jogo a menos, contra o Athletico-PR, que será disputado na próxima quarta-feira, na Arena da Baixada.

LIBERTADORES
Integrar o G-6, grupo que garante vaga na Copa Libertadores do ano que vem, é uma tarefa bem mais tranquila para o Galo. Mas assim como no título, a pontuação para garantir vaga na principal competição de clubes da América do Sul no ano que vem deve aumentar também.

tabela 3

Nas últimas quatro edições, a melhor marca do 7º colocado da Série A foi 59 pontos, em 2015. Hoje, o Atlético tem 27. Uma vitória sobre o Athletico-PR neste sábado, na Arena da Baixada, fará com que a equipe de Rodrigo Santana chegue à casa dos 30.

REBAIXAMENTO
A força dos times que ocupam a ponta da tabela de classificação fará com que a pontuação para se evitar o rebaixamento à Série B seja bem mais baixa que os 45 pontos, que é a marca que virou sonho de consumo de todo torcedor que tem seu time brigando contra a degola.

“Neste ano, com a projeção dos jogos já disputados, com 41 pontos há uma chance considerável de uma equipe se salvar. A pontuação para se evitar a queda seria 42. Se há um número maior de times com um bom rendimento, há um número maior de times com um rendimento ruim. E isso faz a marca do rebaixamento baixar”, explica o professor da UFMG.

Os 41 pontos projetados por Gilcione já foram uma realidade no ano passado. O América foi o 17º colocado, primeiro time dentro da zona de rebaixamento, com 40 pontos.

O problema é que o desempenho do Cruzeiro até agora no Brasileirão é desastroso. O aproveitamento de 26,2%, projetado para o final das 38 rodadas da competição, dá apenas 30 pontos, 11 a menos que o mínimo para se evitar a queda para a Série B.

“O Cruzeiro precisa reagir ainda neste turno. Dois jogos, contra CSA e Vasco, são chaves, pois é contra adversários diretos. Nas outras três partidas, contra Santos, Grêmio e Palmeiras, qualquer ponto conquistado pode ser considerado lucro, pois são times superiores neste momento”, afirma Gilcione Nonato da Costa.