Na última quinta-feira (27), completou-se um ano exato da troca entre Palmeiras e Atlético envolvendo os empréstimos de Marcos Rocha e Róger Guedes. O Galo, no fim das contas, lucrou no campo e fora dele. Nesta sexta, segundo o blog do PVC, no portal UOL, Rocha foi vendido ao Verdão por R$ 8 milhões.

O valor a ser gasto pelo Palmeiras, segundo o jornalista Paulo Vinícius Coelho, corresponde a 1,8 milhão de euros, pouco abaixo dos 2 milhões de euros nos quais o Galo havia fixado a prioridade de compra ao atual campeão brasileiro. Como recebeu 2,5 milhões de euros (R$ 11,3 milhões) para aceitar liberar Róger Guedes ao Shandong Luneng antes do prazo de direito, o Atlético então "lucra" pouco mais de R$ 19 milhões nesta troca.

O Hoje em Dia apurou com pessoas ligadas ao lateral-direito de que, até o fim da tarde desta sexta-feira (27), não havia novidades na questão Rocha-Atlético-Palmeiras. O agente do jogador, Felipe Russo, informou: "Não que eu saiba (venda ao Palmeiras). Estou aguardando! Se os clubes se acertarem, falamos sobre o jogador. Enquanto isso, sem novidades", disse.

Entretanto, a vontade do jogador pesa para que ele fica no time paulista. Além disso, o presidente do Galo, Sérgio Sette Câmara, esteve no casamento de Alexandre Mattos em Trancoso, em meados de dezembro, alinhavando esta negociação.

Com a chegada de Guga, o Atlético esperava negociar Marcos Rocha antes mesmo da reapresentação da semana que vem, no dia 3 de janeiro, na Cidade do Galo. Guga, inclusive, foi alvo de um investimento similar às cifras que o alvinegro receberá por Rocha - 1,8 milhão de euros por 70% dos direitos econômicos.

A ida de Marcos Rocha ao Palmeiras, em 2017, não foi diretamente relacionada às vinda de Erik, Juninho e Arouca ao Galo por empréstimo, mas ajudou a abrir as portas do "supermercado" palestrino. Algo que deve se repetir agora na transferência em definitivo. O Atlético receberá o atacante Papagaio por empréstimo, e ainda está de olho em Alejandro Guerra, Raphael Veiga e Arthur Cabral.