A vida e suas voltas. Doze anos após deixar o Atlético pelas portas do fundos, devido a um ato de indisciplina fora das quatro linhas, o lateral-direito Mariano, hoje aos 34, tem a chance de reescrever sua história pelo clube. Pedido por Jorge Sampaoli, ele foi apresentado oficialmente nesta terça-feira (4).

"Não esqueci daquele ocorrido, porque aprendi muito com o que aconteceu em 2008, e como você (repórter) mesmo disse, se passaram 12 anos.  Depois daquilo, provei não só para mim, mas para muitas pessoas, que eu poderia fazer muito melhor do que aquilo que fiz de errado. Depois deste fato, a minha carreira foi crescendo. Não vejo como uma oportunidade para tentar mudar. Vim para ajudar o Atlético para ser campeão e a minha história depois de doze anos pode dizer melhor sobre isso", comentou Mariano.

"Eu tinha vontade de voltar ao Brasil, depois de quase 10 anos fora, por questão de família. Minha prioridade era essa. Com a estrutura e a grandeza do Atlético, junto com o Sampaoli, com quem trabalhei durante um ano no Sevilla. Isso, inclusive, facilitou bastante para mim; já mantínhamos contato desde o ano passado, quando ele estava ainda no Santos", acrescentou.

A expectativa é que, ainda nesta terça, o nome do jogador esteja registrado no Boletim Informativo Diário da CBF. Caso isso ocorra, ele poderá ser relacionado para o duelo de volta das semifinais do Mineiro, contra o América, marcado para esta quarta (4), no Independência.

"Eu estava atuando (no Galatasaray-TUR). Com a questão da viagem, tem uma semana que fiquei sem atividades, mas já vou me preparar e conversar com o Sampaoli. Vou tentar ajudar, mas não sei se para este próximo jogo", finalizou.

Mariano assinou contrato com o Atlético até 2022.