José Maria Marin, presidente da Confederação Brasileira  de Futebol (CBF), anunciou nesta quarta-feira (22) mudanças na Comissão de Arbitragem. Diante das críticas pelos seguidos erros dos juízes e seus auxiliares nas partidas do Brasileiro, o dirigente tirou da presidência da Comissão Sérgio Corrêa, que agora irá chefiar o Departamento de Arbitragem, setor criado após estas mudanças para "assessorar, implementar as decisões, bem como realizar todas as tarefas administrativas relacionadas a arbitragem que forem adotadas pela Comissão", de acordo com a portaria divulgada nesta tarde.

Aristeu Leonardo Tavares, antes Ouvidor da Arbitragem, assume a presidência da Comissão. Antônio Pereira da Silva será o vice e Dionísio Roberto Domingos, o secretário. “O trabalho que está sendo desenvolvido na arbitragem vai render bons frutos. Vamos começar com dois objetivos: minimizar os erros e apresentar novos árbitros”, afirmou o novo presidente, endossado por Marin.

“Procurar melhorar o nível da arbitragem é um compromisso de honra assumido no primeiro dia da minha administração. Essas mudanças têm o objetivo de continuar nessa busca, que tenho certeza vamos conseguir”, acrescentou o mandatário da CBF, que ainda exonerou Manoel Serapião, então vice da Comissão Nacional de Arbitragem (Conaf).

Paulo Jorge Alves também perdeu seu antigo cargo, para agora assumir a Ouvidoria da Arbitragem. As mudanças aconteceram pouco menos de um dia depois de Marin anunciar que, insatisfeito com as atuações dos árbitros neste Brasileirão, planejava fazer alterações para minimizar falhas.

A polêmica sobre o tema voltou à tona depois da vitória do Santos sobre o Corinthians, domingo, na Vila Belmiro. No segundo gol santista, três jogadores estavam em posição de impedimento e, ainda assim, o assistente Emerson Augusto de Carvalho confirmou o tento da vitória do Peixe, por 3 a 2.

O lance gerou revolta do técnico Tite, que chegou a gritar na entrevista após o jogo. Como punição, o bandeira, que constatou seu erro em entrevista no início desta semana, foi afastado pela Conaf e passará por um curso de reciclagem antes de fazer seu retorno às partidas do Campeonato Brasileiro.

Arquirrival do Timão, o Palmeiras também tem constantemente reclamado das atuações das arbitragens neste Brasileirão. Após enviar reclamações formais à entidade, o time recebeu ofícios - assinados por Aristeu Tavares, novo presidente da Comissão - em que constatava erros nas derrotas para Cruzeiro e Bahia. Como 'solução', o então Ouvidor da Arbitragem sugeriu cursos de reciclagem para os árbitros daqueles jogos - Fabrício Corrêa e Antonio Schneider.