Nos anos 1980, o Atlético chegou a ter, ao mesmo tempo, dois dos maiores batedores de falta da história do futebol brasileiro, o lateral-direito Nelinho e o ponta-esquerda Éder. Neste período, gols de bola parada eram comuns. Depois deles, quem mais transformou a bola parada em arma foi o meia Otero.

E o venezuelano, emprestado pelo Galo ao Corinthians, seguia presente na história deste elenco atleticano, mesmo tendo jogado pela última vez em 20 de agosto de 2020, por ser o autor do último gol de falta do time, em 20 de fevereiro do ano passado, na vitória por 2 a 0 sobre o Unión, da Argentina, na eliminação do Atlético ainda na primeira fase da Copa Sul-Americana.

Zaracho Calebe AtléticoAutor do primeiro gol do Atlético, em cobrança de falta, Zaracho comemora com Calebe o segundo gol do Galo, que foi o primeiro do garoto pelo time principal

Na vitória por , sobre o Uberlândia, neste domingo (7), no Mineirão, pela terceira rodada da fase classificatória do Módulo I do Campeonato Mineiro, o meia Matías Zaracho tomou de Otero a autoria do último gol de falta do Galo.

Num lance em que contou com leve desvio do lateral-direito Éverton, o argentino venceu o goleiro Marcão numa jogada em que sua intenção na cobrança da falta parecia ser fazer um cruzamento para a área.

A grande expectativa atleticana para as bolas paradas é Hulk, que estreou neste domingo, mas sem conseguir aproveitar as duas cobranças que teve. Numa delas, preferiu a tentativa de uma jogada aérea, sem sucesso.