Uma das maiores favoritas para a conquista da medalha de ouro da categoria meio-pesado (78kg) no Mundial de Judô, a brasileira Mayra Aguiar ficou no quase nesta sexta-feira na competição que está sendo realizada em Tóquio, no Japão. Número 1 do ranking, a judoca gaúcha caiu nas semifinais para a francesa Madeleine Malonga, que mais tarde se tornou a nova campeã, e teve que se contentar com o bronze ganho na luta contra a portuguesa Patrícia Sampaio.

"Qualquer competição, independente do resultado, eu saio bastante fortalecida. A gente aprende muito e sempre sobe mais, cresce mais. Mais ainda quando a gente sente a dor da derrota. Eu estava muito preparada. Eu errei, podia ter continuado em pé (contra Malonga). Ainda estou remoendo um pouco assim, mas já já vou ficar feliz porque sei o quanto é importante uma medalha em Mundial", disse Mayra, resignada, em entrevista ao canal SporTV.

Essa é a sexta medalha da judoca de 28 anos em Mundiais. Antes, ela havia conquistado dois ouros (Chelyabinsk-2014 e Budapeste-2017), uma prata (Tóquio-2010) e dois bronzes (Paris-2011 e Rio-2013). Com isso, Mayra Aguiar se isola como a maior medalhista brasileira na história da competição. Antes estava empatada com Érica Miranda, com cinco para cada uma.

"Comecei a lutar em um Mundial muito nova. A minha primeira medalha foi aqui em Tóquio, tenho um carinho especial e é sempre bom sair daqui com uma medalha no peito", completou a judoca, que tem dois bronzes em Jogos Olímpicos (Londres-2012 e Rio-2016).