Eugenio Mena ainda nem foi confirmado como lateral-esquerdo do São Paulo, mas deve chegar com a responsabilidade de solucionar o problema da posição. O setor tem sofrido com a falta de titulares absolutos nas últimas temporadas e por isso o clube aposta que o chileno poderá ter uma continuidade maior, diferentemente do ocorrido em 2015, ano marcado por muitas mudanças.

Carlinhos deixou o Fluminense com o status de que seria o titular do São Paulo no último ano. A sequência de lesões o atrapalhou e na maioria das partidas no ano quem atuou na posição foi o reserva Reinaldo. A temporada também promoveu a estreia do garoto da base Matheus Reis, de 20 anos, que renovou contrato com a equipe em dezembro, com vínculo até 2019.

A própria contratação do lateral-esquerdo foi a tentativa do clube de repor a perda do titular no ano anterior. O uruguaio Alvaro Pereira teve boa sequência pelo clube em 2014, quando se manteve como dono da posição. Enquanto isso, um outro estrangeiro trazido para ter o mesmo protagonismo passou a temporada inteira sem ter chance na equipe. O argentino Clemente Rodriguez fez três jogos pelo São Paulo em mais de um ano e meio de vínculo.

O jogador veio em junho de 2013 após deixar o Boca Juniors. Logo na estreia, em julho, foi expulso na derrota para o Bahia, no Morumbi. Marcado por expulsões e lesões, o argentino tempos depois foi treinar isolado do grupo no CT da base em Cotia, por decisão da comissão técnica. A decisão abriu espaço para o recém-chegado Reinaldo.

O São Paulo buscou o jogador no Boca Juniors para substituir Cortez. Titular em 2012, o ex-botafoguense acabou afastado depois da eliminação do clube na Copa Libertadores de 2013, junto com outras atletas, como Cañete e Fabrício. O lateral nunca mais teve chance na equipe e atualmente está emprestado ao futebol japonês.

Apesar da expectativa em relação a Mena, o chileno campeão da Copa América em 2015 tem previsão de firmar um vínculo curto com o São Paulo. A tendência é o jogador ficar emprestado apenas por uma temporada.