Os vários desfalques, por conta da Covid-19, se tornaram adversidades que o Atlético precisou enfrentar no dia a dia dos treinos, na escolha da escalação e no decorrer da partida deste domingo (22), contra o Ceará, no Castelão – o alvinegro mineiro entrou em campo, inclusive, sem volantes de ofício, com Dylan Borrero e Calebe atuando na função. Para piorar, o time perdia por 2 a 1, de virada, e teve o colombiano expulso aos 24 minutos da segunda etapa. Diante de tantos fatores negativos, o empate em 2 a 2, obtido na base da raça e da persistência, pode ser considerado um prêmio para o Galo.

O ponto conquistado fora de casa foi tão valioso que manteve a equipe preta e branca na liderança do Campeonato Brasileiro, agora com 39 pontos.

Sasha abriu o placar para o Atlético aos 28 minutos do primeiro tempo – há quem vá dizer que tenha sido de bicicleta, e outros vão falar que foi de puxeta, mas o importante é que foi gol. Na segunda etapa, erros coletivos do sistema defensivo alvinegro renderam uma virada ao Vozão, com tentos de Léo Chú, aos 2, e Felipe Vizeu, aos 11. Mas Keno, de pênalti, salvou o Galo da derrota, aos 28.

Houve momentos em que, mesmo com um atleta a menos, o Atlético se saiu melhor que o adversário. Por pouco não veio a vitória, mas os erros de finalização, que vêm atrapalhando o time neste Brasileiro, voltaram a falar mais alto. Mesmo assim, o empate acabou sendo positivo.

O Galo volta a campo nesta quarta-feira (25), às 21h30, contra o Botafogo, no Mineirão, pela 23ª rodada.

A FICHA DO JOGO

CEARÁ 2 X 2 ATLÉTICO
Motivo:
22ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Castelão
Cidade: Fortaleza
Data: 22 de novembro de 2020 (domingo)
Arbitragem: Raphael Claus, auxiliado por Danilo Ricardo Manis e Alex Ang Ribeiro, todos paulistas
VAR: Elmo Alves Resende Cunha
Cartões amarelos: Tiago, Bruno Pacheco, Samuel Xavier e Eduardo Brock (Ceará); Arana (Atlético) Cartão vermelho: Borrero (Atlético)
Gols: Sasha aos 28 minutos do primeiro tempo; Lima aos 2 minutos, Vizeu aos 11 e Keno aos 28 do segundo tempo

Ceará
Fernando Prass; Samuel Xavier, Tiago (Klaus), Eduardo Brock e Bruno Pacheco; Fabinho, Charles (Léo Chú) e Vina; Fernando Sobral, Lima (Leandro Carvalho) e Felipe Vizeu (Cléber)
Técnico: Guto Ferreira

Atlético
Rafael, Talison (Bueno), Rabello, Alonso e Arana; Calebe (Nathan), Dylan Borrero e Zaracho (Marrony); Savarino (Marquinhos), Keno e Sasha (Hyoran)
Técnico: Leandro Zago