Após a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) anunciar o fim da Superliga Feminina de vôlei nesta quinta-feira (19), o Minas Tênis Clube soltou uma nota informando que não votou contra o fim da edição 2019/2020 da competição.

De acordo com o Minas, o clube mineiro foi a favor de uma nova reunião para o dia 16 de abril a fim de tratar novamente do assunto, o que foi rechaçado por seis clubes e a Comissão de Atletas. Apenas a o Sesi Vôlei Bauru concordou com os minastenistas. 

Isso não quer dizer, no entanto, segundo o Minas, que o clube era contrário à decisão de encerrar a Superliga. “Queremos destacar que o Minas sempre esteve a favor da preservação da saúde de todos os atletas, colaboradores e torcedores envolvidos na Superliga”, afirmou o gerente de vôlei feminino do clube, Jarbas Soares.

Minas

No mesmo comunicado, a capitã e central da equipe Carol Gattaz lamentou que o torneio tenha sido cancelado dessa forma, mas deixou claro que era algo inevitável, em função dos riscos do coronavírus.

“Tínhamos o objetivo de conquistar o título de novo, ainda mais por este ano a Superliga estar mais equilibrada, com os três primeiros, praticamente, empatados. Sabíamos que estava tudo em aberto e muito equilibrado. Mas, não somos só nós que estamos abdicando de alguma coisa, todo mundo está abrindo mão de alguma coisa. E vamos ter que aprender a lidar com essas coisas inesperadas. Torcemos e rezamos para que se encontre logo uma vacina e que tudo isso se resolva da melhor maneira possível”, disse.