Casa cheia, como convém às grandes ocasiões, sete jogadoras com passagem ou atualmente na Seleção Brasileira (e com direito a medalhas de ouro olímpicas e inúmeras conquistas do Grand Prix), a levantadora titular dos Estados Unidos e uma oposta que por muito tempo defendeu a equipe nacional norte-americana. E as duas representantes brasileiras no próximo Mundial de Clubes, em dezembro, na China.

Não faltavam motivos para fazer, do confronto que fechou o Mineiro Adulto Feminino de Vôlei, uma partida de arrepiar. E se ainda é começo de temporada e há muito a evoluir dos dois lados, o público teve o privilégio de acompanhar um jogão entre Minas Tênis e Praia Clube. Com festa das primeiras (campeãs sul-americanas), que de forma até surpreendente bateram as campeãs da Superliga por 3 a 0 (25/20, 25/23 e 25/21), em uma hora e 19 minutos.

O primeiro set começou com erros de saque dos dois lados e a boa presença de Natália, poupada pelo técnico Stefano Lavarini nas duas primeiras partidas. Gabi e Fernanda Garay fizeram um duelo à parte nos ataques pela entrada de rede. Depois da igualdade até o 18º ponto, as meninas da casa deslancharam para fechar em 24 minutos.

O saque do Minas - especialmente as pancadas de Bruna Honório - dificultou a recepção e o passe do Praia, com a levantadora norte-americana Lloyd ainda distante do entrosamento ideal com as companheiras. Por outro lado, Garay e Fawcett se encarregavam de colocar os ataques no chão da quadra adversária. O equilíbrio e os belos ralis prosseguiram no começo da segunda parcial mas, com participação importante das centrais Mara e Carol Gattaz nos ataques de meio e nos bloqueios, as minas-tenistas, que chegaram a ficar quatro pontos atrás, foram buscar o 2 a 0.

E a torcida da casa (havia um bom grupo empurrando as meninas de Uberlândia) não perdoou quando, no começo do terceiro set, Paulo Coco pôs em quadra Rosamaria pela primeira vez. Até a temporada passada jogadora do Minas, a ponteira foi saudada com gritos de "ôooo, saca na Rosa". Bruna Honório, melhor sacadora da última Superliga mandou não só na Rosa, mas no chão, fazendo estrago na recepção praiana. A capitã Gattaz também estava em noite inspirada. E foi das mãos dela que saiu o ponto decisivo, fazendo a festa do time da Rua da Bahia e da torcida. Os dois times mostraram que podem fazer bonito em mais essa temporada.

"Estou muito feliz em voltar para casa, já sabia quanto essa torcida fazia a diferença aqui dentro e espero que você continuem passado toda essa energia para o time na quadra", destacou Gabi, campeã já no primeiro torneio em seu retorno ao Minas.

Terceiro lugar
Na preliminar, que acabou se transformando em decisão do terceiro lugar, o Lavras, como previu seu técnico André Luiz, jogou mais solto depois de encarar as favoritas, mas voltou a ser derrotado. As meninas da equipe do Sul do estado (em sua maioria com idade sub-18) mais uma vez mostraram potencial, mas foram superadas pelo BRB Brasília Vôlei, que disputará a Superliga, por 3 a 0 (25/16, 25/17 e 25/21).

Minas Tênis: Macris, Bruna Honório, Mara, Carol Gattaz, Gabi, Natália, Leia (líbero); depois Lana, Malu, Bruna Costa, Ciça
Técnico: Stefano Lavarini

Dentil Praia Clube: Carli Lloyd, Nicole Fawcett, Fabiana, Carol, Fernanda Garay, Ellen, Suelen (líbero); depois Ananda, Paula Borgo, Fran, Michelle Pavão, Rosamaria, Laís
Técnico: Paulo Coco

Arbitragem: Anderson Caçador e Ivan Cardoso