Dono da melhor campanha da primeira fase da Superliga Feminina, o Itambé/Minas largou na frente na disputa da semifinal contra o Osasco. Na noite desta segunda-feira (1), com um jogo muito consistente, baseado na grande atuação da levantadora Macris, eleita a melhor em quadra, a equipe comandada pelo técnico Stefano Lavarini venceu as paulistas por 3 a 1, de virada, e está agora a apenas uma vitória da decisão. O segundo jogo será na próxima segunda-feira (8), em Osasco.

Macris, que se destacou pela precisão de seus levantamentos e pelo controle demonstrado na distribuição do jogo para suas atacantes, ressaltou a tranquilidade que ter grandes jogadoras ao seu lado passa para que ela faça grandes partidas como essa.

“Todas elas estão vindo muito forte. Conseguem sempre colocar o passe na minha mão, então fica fácil eu fazer o meu trabalho (...)Mesmo nos momentos difíceis eu sei que posso contar com cada uma”, revelou a melhor em quadra.

Primeiro set

O jogo começou marcado pelo equilíbrio, com o sistema ofensivo dos dois times se sobressaindo sobre as defesas. O time mineiro chegou a abrir 15/11, mas as comandadas pelo técnico Luizomar de Moura não deixavam que a diferença no marcador aumentasse. No entanto, o Minas conseguiu manter a vantagem na casa dos 4 pontos, até que em uma boa passagem de Mari Paraíba pelo saque, a diferença caiu para um (21/20). Em seguida, a equipe paulista chegou à virada e fechou o set em 26/24, com um belo ataque da central Walewska.

Virada

A segunda parcial teve domínio das comandadas por Stefano Lavarini desde o início, chegando a abrir 12/4, com destaque para os pontos de bloqueio. O Osasco tentou buscar a virada, mas não conseguiu encostar no placar e a grande vantagem das donas da casa persistiu e chegou a aumentar no decorrer do set. As mexidas do comandante paulista não surtiam o efeito esperado. Enquanto isso, a equipe mineira mantinha o nível de atuação elevado e fechou a parcial em 25/15 com a ponteira Natália.

Nenhuma equipe conseguiu grande vantagem no início da terceira parcial, até que com contra-ataques e com uma boa distribuição da levantadora Macris, o time mineiro abriu nove pontos, obrigando o técnico Luizomar a gastar seus dois tempos e começar a mexer na equipe. Vencendo por 16/7, o Minas começou a atuar mais solto, com o sistema bloqueio-defesa bem ajustado e aproveitando a maioria dos ataques. A boa vantagem conquistada foi administrada até que o set foi definido em 25/17, após mais um ataque da central Mara.

Vencendo por 2 a 1, o Minas começou o quarto set sufocando a equipe paulista na combinação de saque e bloqueio, pontuando várias vezes nesse fundamento, sendo três dessas vezes com a ponteira Gabi, que marcou bem a jogada “china” da central adversária.

Com grande atuação coletiva e de Gabi, o placar foi sendo construído em favor das donas da casa, que se aproximavam da vitória. Um grande rally vencido pela equipe mineira fez com que a diferença chegasse a sete pontos e a torcida explodisse na Arena Minas. Mais uma vez a equipe do Osasco buscou encostar no placar, mas não chegou a ameaçar e o jogo foi definido com certa tranquilidade. O ponto final foi marcado após um erro de combinação de jogada do Osasco e o set terminou 25/13 para o Minas.

Homenagem

Antes da partida, a diretoria do Minas, juntamente com a CBV, representada por Radamés Lattari, homenageou o ex- atleta da seleção brasileira Mário Marcos Joubert Procópio. Mário disputou a Olimpíada de 1972, em Munique, e atuava como levantador.

Praia Clube

No primeiro jogo da outra semifinal da Superliga Feminina, o segundo representante mineiro, Dentil/Praia Clube venceu com tranquilidade a equipe do Sesi/Bauru. O clube de Uberlândia fez 3 a 0, com parciais de 25/15, 25/15 e 25/20. A partida de volta será no Triângulo Mineiro na próxima segunda-feira, (8), às 19h, e caso o time mineiro conquiste mais uma vitória, se garante na final em busca do bicampeonato.

(*) Hugo Lobão sob supervisão de Alexandre Simões