Entre as várias indefinições do Cruzeiro neste início da temporada, a escolha da casa do time em 2020 é uma das mais urgentes.

Apesar de a estreia da equipe no Campeonato Mineiro estar confirmada para o Mineirão, no dia 22 de janeiro, às 21h30, contra o Boa Esporte, não há um acerto sobre onde o clube estrelado vai mandar as suas partidas no restante do ano.

Com uma dívida discutida na Justiça que supera os R$ 26 milhões com o Gigante da Pampulha – que motivou o fim do contrato de fidelidade, em junho do ano passado – a Raposa negocia um acordo com os gestores do maior palco do futebol mineiro para poder atuar no estádio.  

Mesmo sem revelar detalhes, as duas partes confirmam que as tratativas avançaram nos últimos dias.

Apesar da evolução nas negociações, o Cruzeiro afirma que ainda não há um acordo concreto sobre o local onde vai mandar as partidas em 2020, indicando que as condições para os próximos jogos vão ser definidas caso a caso.

Independência

Independência

Outra opção de casa para a Raposa nesta temporada é o Independência. Atraído pela possibilidade de mandar as partidas com um custo operacional menor, o Cruzeiro, no final do ano passado, demonstrou interesse em migrar para o Horto em 2020.

As tratativas foram encabeçadas por Zezé Perrella, então gestor de futebol do clube (demitido em dezembro), antes mesmo do fim do Campeonato Brasileiro.

Hélber Gurgel, gerente de operações e segurança do estádio afirmou que, inclusive, a minuta de um possível contrato foi entregue aos dirigentes do Cruzeiro.

Gurgel, entretanto, afirma que após as mudanças na cúpula celeste e as várias indefinições que pairam sobre a Toca da Raposa II, as negociações esfriaram.

Apesar das incertezas sobre o futuro do clube estrelado, Hélber Gurgel afirma que o Independência tem muito interesse em receber o Cruzeiro em 2020 e que aguarda as definições dos novos gestores da Raposa para tentar selar o acordo.