O palco sagrado do futebol mineiro pode ter um papel importante para receber pacientes com coronavírus. Técnicos da Prefeitura de Belo Horizonte e do Governo do Estado estiveram no Mineirão na noite desta segunda-feira (30) para traçar uma estratégia, caso tenha a necessidade de o estádio se transformar em um hospital de campanha para receber cerca de 400 leitos. 

“Foi uma visita bem inicial. Seria um plano C caso o Expominas não seja capaz de absorver a demanda (de pacientes com coronavírus)”, explicou Samuel Lloyd, diretor comercial da Minas Arena, concessionária que administra o estádio.

A ideia, caso haja a necessidade, é montar o hospital de campanha no estacionamento G2 (onde fica a entrada dos camarotes), utilizando a estrutura do posto médico, do Juizado Especial Criminal e as áreas externas do estádio. Presente no encontro, a empresa Arcelor Mittal será parceira importante neste processo e deve custear boa parte dele.

Mineirão


Outros estádios

Vários estádios do futebol brasileiro se transformaram em hospital de campanha para receber pacientes com coronavírus. Em São Paulo, o gramado do Pacaembu está praticamente pronto para receber cerca de 200 vítimas de média e baixa complexidade da doença. 

No Rio de Janeiro, o governador Wilson Wizel (PSC-RJ) já declarou em coletiva que o Maracanã será um dos principais hospitais de campanha do Rio. Em Boa Vista, em Roraima, o estádio Canarinho recebeu estrutura para 120 leitos. 

O Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, no Ceará, terá condições de receber cerca de 200 pacientes. O Mané Garrincha, em Brasília, também pode se transformar em um hospital de campanha.