Foram 10 anos de luta no Circuito Mundial de Surfe para conquistar o sonhado título. Adriano de Souza, o Mineirinho, batalhou uma década para mostrar que poderia chegar lá. Com a vitória na etapa de Pipeline do Circuito Mundial, no Havaí, mostrou ao mundo o seu talento e a primeira atitude que fez quando chegou na casa que a noiva alugou para acompanhar de perto a disputa foi rezar com a sogra Darli Stahelin e agradecer a Deus pelo título.

"Ainda estou tentando entender tudo isso. É muita gratidão após o título, é muita adrenalina, agora é curtir e descansar. Da forma que foi, é incrível. Acho que Deus caprichou no meu título mundial. Estou muito honrado de ter finalizado meu ano dessa forma", afirmou o surfista, que destacou o que mais o impressionou no título. "Acho que foi vencer o Pipe Masters".

A vitória veio de forma dramática, na semifinal da competição, e nem mesmo ele esperava que fosse dessa forma, com vitória na etapa, título mundial no fim da temporada e ainda por cima vendo o amigo Gabriel Medina na decisão com ele e levando de quebra a Tríplice Coroa Havaiana. "O Gabriel estava surfando muito, com posicionamento bom, vinha com muita força e determinação. Na final sabia que estava competindo contra o melhor do evento, mas venci e dedico esse troféu ao Ricardo", disse Mineirinho, sobre Ricardinho dos Santos, seu amigo que foi morto por um policial em janeiro.

Desde 2006, Mineirinho está na elite do surfe e sempre sonhou com o momento. Talento desde cedo, chegou a ficar perto, mas nunca teve uma temporada tão brilhante, com vitória em duas etapas, em Margaret River e em Pipeline. "Eu corri muito atrás desse campeonato. A cada bateria que o Mick passava, as chances diminuíam. Mas o Gabriel me ajudou muito eliminando o Mick na semifinal e deu tudo certo. Esse troféu é um sonho que virou realidade. Quero curtir muito isso, intensamente", afirmou.

O surfista volta para o Brasil na próxima semana e deve desfilar em carro de bombeiros no Guarujá (SP). Ele confessa que ainda não caiu a ficha do título e não quer imaginar como será sua recepção em casa. "Sinceramente, não tive nem tempo de pensar nisso", comentou.

Para Mineirinho, muita coisa boa deve vir nos próximos anos e essa geração talentosa de atletas tem tudo para conquistar ainda mais troféus para o País. Ele cita Gabriel Medina e Filipe Toledo como ótimos surfistas, mas vê garotos já mostrando resultados desde cedo. Ele sabe que seu título mundial vai inspirar algumas gerações de atletas brasileiros. "A fase dos brasileiros é muito boa. Eu me sinto muito feliz por ter ajudado neste caminho. O Gabriel foi campeão mundial no ano passado, agora fui eu. Podemos ter outros no futuro. O importante é trabalhar sério, se dedicar e acreditar", concluiu o campeão mundial.