“A qualidade absurda do zagueiro que desarma, arma, dá assistência e deixa a vida em campo pelo Botafogo. Joga muito, Gabriel!”. Foi assim que o perfil oficial do clube carioca definiu o prata da casa do Atlético em suas redes sociais. Emprestado até o fim de 2020 pelo alvinegro de Minas Gerais, o filho de Edcarla e Sebastião vive o melhor momento da carreira e a partir das 21h30 tem a missão de ajudar o time da Estrela Solitária a parar o desesperado Cruzeiro.

Aos 24 anos, o menino que cresceu batendo bola na rua Aimorés, em Matozinhos, e que agora põe os pés na praia nas folgas, vai deixando para trás a turbulência no Atlético e, aos poucos, cai nas graças dos botafoguenses.

Com 44 jogos realizados nesta temporada, num total de 3.903 minutos em campo, Gabriel aos poucos vai se “cariocarizando”.

“Não vejo como idolatria. Vejo como um carinho e respeito que torcedores e clube têm por mim. Me receberam da melhor maneira possível e me ajudaram a ter uma adaptação tranquila aqui” conta o zagueiro ao Hoje em Dia

Gabriel

“A diferença do Gabriel que estava no Atlético e que hoje defende o Botafogo é gigantesca. Estou mais maduro e vivendo uma experiência incrível. Tenho conhecido novas metodologias de trabalho e pessoas. Estou muito feliz”, acrescenta.

Cruzeiro

Em relação ao duelo da 29ª rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Cruzeiro, o zagueiro prega respeito ao time que mais rivalidade criou desde os tempos de categorias de base.

“O Cruzeiro está lutando na parte de baixo da tabela, mas tem um excelente time e um treinador experiente. Será um jogo complicado, estamos cientes, mas estamos dentro da nossa casa e contaremos com o apoio do nosso torcedor”, diz Gabriel. 

“Logicamente, com todo respeito que eles merecem, para nós será nosso jogo do ano”, acrescenta o zagueiro, que se refere à situação do Botafogo na competição mais importante do país.

Situação na Série A

Com 33 pontos na tabela, quatro a mais que a Raposa, os cariocas precisam vencer o confronto no Nilton Santos para se afastarem mais ainda da zona de rebaixamento e continuarem almejando coisas maiores na Série A, como uma vaga na Sul-Americana de 2020, por exemplo.

“Na base e no profissional, tive excelentes resultados contra o Cruzeiro, mas isso já ficou para trás. Sabemos bem que os dois times precisam muito da vitória. Temos que estar muito focados para fazer um grande jogo e nos distanciar da parte de baixo na tabela”, finaliza.