Já são quase três décadas desbravando o país por caminhos pouco conhecidos e desafiadores.

Sob novo comando e com a proposta de se transformar definitivamente em referência internacional, o Rally dos Sertões dá início sábado à 27ª edição, em um ponto de partida inédito: Campo Grande (MS).

De lá, a caravana composta por carros, motos, quadriciclos e UTVs atravessa seis estados (Mato Grosso, Goiás, Tocantins e Piauí também estão no roteiro inédito) e percorre 4.887 quilômetros, dos quais 2.858 cronometrados, até a consagração dos vencedores, dia 1º, em Aquiraz, próximo a Fortaleza.

Um desafio de gente grande, à altura da tradição da prova, e que mais uma vez tem pilotos e navegadores mineiros em posição de destaque.

Sertões

A começar pelas motos. O privilégio de correr com o número 1, reservado ao atual campeão, é do lavrense Tunico Maciel. Com a Honda CRF450X da equipe oficial da fábrica japonesa, ele tem, como principais adversários, os companheiros de equipe Jean Azevedo e Gregório Caselani, ambos também vencedores da prova.

Quem espera entrar na briga é Túlio Malta, de Divinópolis, com a Yamaha WR450F. Atual campeão brasileiro na categoria Maratona (que não permite a troca da grande maioria dos componentes da motocicleta), ele mira um posto no pódio geral das duas rodas. Mesmo caso do uberlandense Bruno Ayrton Leles, com outra Yamaha. Natural de São Sebastião do Paraíso, Francine Rossi é o representante mineiro na Maratona, buscando novo pódio.

Sobre quatro rodas, o experiente Luiz Nacif volta a comandar um Evoque na categoria protótipo. E Marco Túlio Lana, outro acostumado a superar os obstáculos e dificuldades do Sertões, comanda uma Mitsubishi L200 Triton Evolution, com Érick Rocha como navegador.

UTVs
É entre os UTVs, veículos fora de estrada cada vez mais populares nas trilhas e competições que se concentra o maior contingente mineiro. Lavrense como Tunico, Enrico Amarante Almeida defende o título com um Can-Am X3, navegado pelo irmão Álvaro, também piloto de enduro.

Gabriel Cestari, terceiro ano passado, é outro nome forte, assim como Cristiano Batista, de Patos de Minas, que venceu provas em Portugal. Allan Cestari/Weidner Moreira e a dupla da Yoda Racing (Henrique Gutierrez/André Munhoz e Gustavo Lapertosa/Fábio Zeller) também aparecem como nomes fortes na disputa.

Leia mais sobre automobilismo e motociclismo no site Racemotor (https://www.racemotor.com.br)