Mais de 19 anos depois de sua última partida no comando do Cruzeiro no Mineirão, Luiz Felipe Scolari volta ao Gigante da Pampulha novamente como treinador celeste. Essa ‘reestreia’ dentro dos domínios da Raposa será contra o Paraná, nesta sexta-feira (30), às 21h30, em um duelo desde já emblemático. Isso porque o técnico tem como desafio voltar a fazer com que o apelido dado ao estádio de “Toca III” volte a fazer sentido. (Confira as escalações mais abaixo)

Nesta Série B do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro é o sexto pior mandante, com 40,74% de aproveitamento, fruto de três vitórias, dois empates e quatro derrotas. Fator este que explica muito da campanha fraquíssima da equipe, antepenúltima colocada da competição.

Daqui para frente, Felipão espera melhorar o rendimento que teve com o clube em sua primeira passagem no Mineirão para, assim, não apenas tirar os azuis do Z-4 como também fazer a torcida sonhar.

Retrospecto

Da derrota por 2 a 0 para o Athletico-PR, em 30 de julho de 2000, pela Copa João Havelange, aos 2 a 2 com o Palmeiras, no dia 30 de maio de 2001, pela Libertadores, Scolari esteve à frente da Raposa em 31 ocasiões no Gigante da Pampulha. Foram 18 triunfos, oito igualdades e cinco revezes, o que significa um desempenho de 66,67% como anfitrião. 

Neste período, jogando no estádio, o time mineiro marcou 73 gols (média de 2,35 por confronto) e sofreu 36 (1,16 a cada 90 minutos).

Confronto

A história do duelo aponta uma ligeira vantagem cruzeirense. Em 25 partidas envolvendo os dois times, a Raposa saiu vencedora 11 vezes, contra oito triunfos do Paraná, havendo ainda seis empates. Em termos de gols, foram 45 anotados pelos celestes e 34 de autoria dos paranaenses.

Sob a tutela de Felipão, o Cruzeiro superou o adversário por 3 a 1 e ficou no empate em 1 a 1, ambos os jogos válidos pela Sul-Minas de 2001.

Cruzeiro

CRUZEIRO X PARANÁ
Motivo
: 19ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro
Data: 30/10/20 (sexta-feira)
Horário: 21h30
Local: Mineirão
Cidade: Belo Horizonte
Arbitragem: Thiago Luis Scarascati, auxiliado por Daniel Paulo Ziolli e Herman Brumel Vani, todos paulistas
Transmissão: Premiere

Cruzeiro
Fábio; Daniel Guedes (Cáceres), Manoel, Cacá e Patrick Brey; Ramón (Adriano) e Jadsom; Airton, Régis e Marquinhos Gabriel; Marcelo Moreno
Técnico: Felipão

Paraná
Alisson (Marcos); Paulo Henrique, Salazar, Hurtado e Juninho; Jhony Douglas, Higor Meritão e Renan Bressan; Andrey, Thiago Alves e Léo Castro
Técnico: Allan Aal