SÓCHI (Rússia) - No segundo dia de Copa do Mundo, os torcedores na Rússia estavam à espera de um grande jogo e as fichas foram certamente apostadas no duelo europeu entre Portugal e Espanha. Jogaço com seis gols, na noite russa desta sexta (15), em um emocionante empate de 3 a 3, com Cristiano Ronaldo marcando três vezes e igualando um recorde do Mundial.

O confronto pelo grupo B será, em tese, decisivo para o dono da primeira colocação. Uma vez que lustianos e espanhóis deverão derrotar Marrocos e Irã (os asiáticos venceram os africanos por 1 a 0). E a disputa fica ainda mais acirrada após um jogo que entrará para a história dos Mundiais.

GOLS IRREGULARES E PEDIDO DE VAR
Mal a partida havia aquecido, e os cerca de 40 mil torcedores no Estádio de Fisht, em Sochi, já puderam vibrar aos três minutos. Cristiano Ronaldo recebeu a bola na ponta esquerda e foi para dentro da Nacho. O zagueiro improvisado na lateral deixou a perna, e CR7 foi malandro, buscando contato e cavando o pênalti.

Bola na rede para colocar o gajo na lista de recordistas de Copas do Mundo, ao anotar pela quarta edição diferente do torneio, igualando feitos de Pelé e os alemães Seeler e Klose. 

Com David Silva vacilando em dois lances de enorme perigo para a Espanha, a equipe do lado direito da Península Ibérica cresceu na partida. Foi para cima e conseguiu a igualdade em outro momento polêmico da partida.

Diego Costa recebe lançamento aéreo e foi disputar a bola com Pepe. Duelo de brasileiros naturalizados, ambos conhecidos pelo jogo viril e muitas vezes violente. O espanhol acertou o rosto do português com o braço. O árbitro nada deu, e o camisa 19, ao entortar Jose Fontes duas vezes, mandou pro fundo das redes

Igualdade no placar, que ainda teve pedido de VAR (árbitro de vídeo) por parte de Isco. O ponta do Real Madrid acertou um belo chute seco no alto. A bola bateu no travessão e pingou na linha. Isco reclamou, mas se esqueceu que existe uma tecnologia própria para avaliar se a bola entrou ou não.

Pouco depois, com Portugal sem a posse de bola, a Espanha deixou espaços para o contra-ataque. Num lance de velocidade antes, Cristiano Ronaldo havia ajeitado perfeitamente para Gonçalo Guedes chutar pra longe. O negócio era o camisa 7 chamar para si os momentos de definição. Recebeu a bola na intermediária e, mesmo de canhota, chutou rasteiro. A bola era defensável, mas David de Gea simplesmente aceitou. Portugal na frente e apito final da etapa inicial.

SUPERIORIDADE TÉCNICA E GOLAÇOS
Cristiano Ronaldo pareceu espremer tudo que podia de uma equipe visivelmente inferiora à Espanha, que não mostrou sinais de abalo com a saída inesperada de Julen Lopetegui. Troca de passes em sequência e o time da Fúria conseguiu o resultado

Mas para empatar, precisou da bola aérea e falha de marcação. A pelota foi alçada no segundo pau, e Busquets superou Guedes na altura. Cabeceou para o centro da área, com Diego Costa marcando o segundo e empatando novamente a partida.

Questão de minutos depois, com Portugal já sem a mesma perna (a esquerda e a direita de Cristiano), a Espanha conseguiu a virada num verdadeiro golaço. O que Isco ficou no quase antes, Nacho explodiu depois. Jogada de David Silva, que cruzou e a bola foi ressuscitada por William Carvalho (muito mal no jogo) e disparada de primeira pelo zagueiro/lateral.

Portugal ainda ameaçou sair com um ponto do estádio Fisht, com a entrada de Quaresma no lugar do apagado Bernardo Silva. Mas a trivela do cigano estava morta neste duelo. Controle técnico da Espanha, mas a magia estava do outro lado.

No fio de esperança, Cristiano Ronaldo sofreu a falta perto dos 45 minutos do segundo tempo. De maneira espetacular, chutou na sua característica e empatou o jogo, levando os portugueses à loucura no Fisht Stadium e, merecidamente, sendo o "man of the match".

Ficha Técnica
PORTUGAL 3X3 ESPANHA

Portugal: Rui Patrício; Cédric, Pepe, José Fontes e Raphael Guerreiro; William Carvalho, João Moutinho e Bruno Fernandes (João Mário) ; Bernardo Silva (Ricardo Quaresma), Cristiano Ronaldo e Gonçalo Guedes (André Silva). Técnico: Fernando Santos

Espanha: David De Gea; Nacho Fernández, Gerard Piqué, Sérgio Ramos e Jordi Alba; Sergio Busquets, Koke e Andrés Iniesta (Thiago); David Silva (Lucas Vázquez), Isco e Diego Costa (Iago Aspas). Técnico: Fernando Hierro.

Gols: Cristiano Ronaldo, aos 3'/1ºT; Diego Costa, aos 23'/1ºT e Cristiano Ronaldo, aos 43'/1ºT; Diego Costa, aos 9/2ºT e Nacho, aos 12'/2ºT; Cristiano Ronaldo, aos 43'/2ºT
Arbitragem: Gianluca Rocchi, auxiliado por Elenito di Liberatore e Mauro Tonolini. Trio da Itália
Cartões amarelos: Bruno Fernandes (POR) e Sergio Busquets (ESP)
Público: 43.866