Resta apenas a definição do suporte da Prefeitura e acordos com alguns apoiadores, mas Montes Claros está muito próximo de voltar a contar com um representante na Superliga Masculina, na temporada 2019/2020.

Depois de duas temporadas em que a franquia foi cedida ao Corinthians Guarulhos, o retorno à principal competição do vôlei nacional vai passar por uma parceria com o Sada/Cruzeiro, a exemplo do que já foi feito com o JF Vôlei (Juiz de Fora) e o Lavras, semifinalista da última Superliga B.

As conversas já vinham avançando há algum tempo, e o martelo foi batido esta semana. O técnico será Henrique Furtado, que contará com atletas da base do time celeste, bem como jogadores que não estejam sendo aproveitados por Marcelo Mendez.

“Felizmente conseguimos formatar esse projeto, trazendo o vôlei de volta a uma cidade de tanta tradição e com uma torcida fanática. Era algo que estava fazendo falta ao campeonato. A ideia é contar com um núcleo vindo do Sada, mas, se o orçamento permitir, ir ao mercado para buscar reforços que qualifiquem ainda mais o grupo”, explica o gestor do Montes Claros Vôlei, Andrey Souza. A tendência é de que o “Pequi Atômico” mantenha o nome oficial, embora não esteja descartada uma mudança, especialmente caso haja acordo com um patrocinador master.

Trajetória
O Montes Claros foi fundado em 2008, tendo Marcelo Mendez como seu primeiro treinador. Na temporada 2009, conquistou o título estadual, o que acabou levando o argentino ao comando do Sada Cruzeiro. Com o ex-levantador Talmo no comando, foi ainda mais longe em 2010, chegando à final da Superliga e sendo derrotada apenas pelo Cimed Florianópolis.

A equipe foi dissolvida em 2012, mas voltou dois anos depois, incorporando o time goiano do Monte Calvário. Em 2017, ficou com o quinto lugar final na Superliga e recebeu, no ano seguinte, o Sul-Americano de Clubes, mas se viu obrigada em seguida a ceder a vaga na divisão de elite ao Corinthians.