Se sobre quatro rodas o ano para os pilotos mineiros foi memorável, como mostrou a seção Velocidade na segunda-feira, entre as motos a temporada que chegou ao fim não ficou por menos. Na terra como no asfalto foram várias as vitórias e títulos nacionais, mantendo uma tradição de conquistas e bons resultados.

Na mais difícil prova do fora de estrada brasileiro, o Rally dos Sertões, a festa na classificação geral foi de Tunico Maciel. O piloto de Lavras, com uma Honda CRF 450RX oficial da equipe japonesa, se tornou campeão inédito mesmo com um companheiro de time como Jean Azevedo, um dos maiores nomes da modalidade no país. Na categoria Maratona, outra vitória mineira, com Túlio Malta. Ambos garantiram o título nacional nas respectivas categorias.

O Brasileiro de Enduro FIM (Velocidade) marcou a consagração de pilotos e equipes do estado, com destaque para Rômulo Bottrel, da O2 Yamaha América Racing na categoria E3; Nielsen Bueno (Husqvarna) na E35 e Pélmio Simões (O2 Yamaha América Racing) na E45. Defendendo a mesma equipe, Fábio Coelho Amaral sagrou-se campeão brasileiro de enduro de regularidade na categoria Brasil.

No enduro extremo (Hard Enduro), modalidade que cada vez mais ganha espaço e prestígio internacional veio o principal resultado de um mineiro no exterior: Giambattista Coscarelli, o Giannino, venceu na categoria Bronze o Red Bull Romaniacs, disputado em torno da cidade romena de Sibiu, batendo nada menos que 200 adversários de todas as partes do mundo. E no Brasileiro, não só a principal categoria foi dominada por um piloto do estado como houve dobradinha em família: título para Rigor Rico e vice-campeonato para seu irmão Ripi Galileu.

Asfalto
No ano do retorno da disputa de um Brasileiro de Motovelocidade chancelado pela Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM), o pelotão mineiro também fez bonito – abertura e encerramento da competição ocorreram no Circuito dos Cristais, em Curvelo, com as demais provas em Goiânia e Cascavel (PR).

Na Superbike Master (1.000cc), o valadarense Jirios Abboud, o ‘Bananeiro’, conquistou o título por antecipação com sua Kawasaki ZX10-R. Uma das revelações do esporte, Diego Hilel, em seu primeiro ano competindo, foi o vice-campeão na categoria com os grids mais numerosos, a Sport 300.

Na Supersport 600, com três terceiros lugares e mesmo sem conseguir pontuar em duas das cinco etapas, Antônio Franzen, o Toninho, garantiu a terceira posição com a Kawasaki ZX6-R da equipe O2 BH Kawasaki América Racing.

* Leia mais sobre automobilismo e motociclismo no site Racemotor (www.racemotor.com.br).