O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) expediu, nesta quinta-feira (3), uma medida cautelar que determina temporariamente a suspensão das atividades de duas das principais torcidas organizadas do Cruzeiro, a Máfia Azul e a Pavilhão Independente. A ação do MPMG foi tomada em decorrência dos episódios de violência protagonizados pelas duas torcidas durante e após o jogo entre Cruzeiro e Flamengo. As duas organizadas se enfrentaram na região do setor amarelo do Mineirão.

Assista ao vídeo:

A determinação, expedida pela 14ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de Belo Horizonte, entra em vigor a partir deste sábado (5), data do jogo entre Cruzeiro e Internacional, também no Gigante da Pampulha. A suspensão temporária das torcidas tem validade de 30 dias.

A medida impede que as duas torcidas frequentem estádios de futebol por todo o país em dia de jogos. Além disso, a determinação proíbe o uso das sedes das organizadas nos dias de partidas do clube, sob pena de R$ 50 mil reais.

Em recomendação à Federação Mineira de Futebol (FMF), O MPMG também proibiu o “uso, porte e exibição de qualquer vestimenta, faixa, bandeira, instrumento musical ou qualquer objeto que possa caracterizar a presença da torcida nos estádios ou seus respectivos entornos nos dias de jogos”.

Segundo o promotor de Justiça de Defesa do Consumidor de Belo Horizonte Paulo de Tarso Morais Filho, a suspensão temporária é uma medida educativa, prevista no Estatuto do Torcedor.

“A participação dessas torcidas organizadas em eventos esportivos tem causado, nas últimas semanas, agravamento da violência, com risco à integridade física de torcedores desvinculados, incluindo famílias e pessoas não envolvidas com os jogos. Não podemos deixar os atos de infração à Lei e à segurança do torcedor sem a resposta necessária”, afirmou.