A seleção brasileira feminina de vôlei dominou o Sul-Americano realizado na cidade de Cajamarca, no Peru. Campeã pela 21.ª vez, sendo a 13.ª de forma consecutiva, com uma campanha de cinco vitórias em cinco jogos e somente um set perdido, a equipe comandada pelo técnico José Roberto Guimarães teve três jogadoras entre as melhores da competição - incluindo a oposta Lorenne, eleita a MVP.

Na decisão contra a Colômbia, na noite de domingo, Lorenne foi a maior pontuadora, com 15 pontos. As ponteiras Amanda e Drussyla, com 13 cada, e a central Bia, com 10, também se destacaram. A oposta da seleção agradeceu o apoio recebido pelas jogadoras e a comissão técnica.

"Fico muito feliz de termos conquistado o Sul-Americano. Tenho aprendido muito a cada campeonato com a seleção adulta. Só tenho a agradecer o apoio do Zé Roberto, das jogadoras e de toda a comissão técnica por terem confiado no meu trabalho. Acredito que ainda tenho muito a evoluir e crescer a cada dia. Também é muito bom ter jogadoras como a Sheilla ao nosso lado. Ela me ajudou muito, me passando dicas e mostrando onde posso melhorar. É muito bom ser parte desse grupo", disse Lorenne.

A também oposta Sheilla, que disputou a sua primeira competição oficial pelo Brasil desde os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, mostrou muita alegria em subir novamente no lugar mais alto do pódio. "Estou muito feliz de voltar a jogar oficialmente pelo Brasil. É muito bom retornar e ganhar a medalha de ouro no Sul-Americano. Escutar o hino nacional no alto do pódio é sempre muito emocionante. Ainda temos muito o que crescer e queremos chegar muito bem na Copa do Mundo. O grupo todo está de parabéns", afirmou.

Zé Roberto Guimarães comentou sobre a importância do título sul-americano e destacou o bom desempenho do Brasil na decisão contra a Colômbia. "O Sul-Americano é um campeonato importante e fico feliz em mantermos a hegemonia na América do Sul. O grupo evoluiu ao longo da competição e mantivemos o Brasil no topo do pódio. Agora é pensar na Copa do Mundo para terminarmos bem a temporada", analisou o treinador.

Além de Lorenne, as centrais Mara e Bia foram eleitas as duas melhores centrais da competição. "Vencer o Sul-Americano como favorito é muito importante. Além disso, mantivemos a hegemonia na América do Sul. Fico muito feliz com a postura do grupo ao longo de toda a competição. Ainda temos mais uma competição nessa temporada (Copa do Mundo) e acredito que estamos conseguindo cumprir nossos objetivos", disse Bia.