A cena do número 7 da camisa de Felipe Azevedo soltando e ele tendo de recorrer à camisa 17, do reserva Yan Sasse, marcou a derrota de 1 a 0 do América para o Corinthians neste domingo (6). A situação ganhou ainda mais repercussão pelo fato de o Coelho estar estreando uma nova fornecedora de material esportivo, a Volt Sport.

Felipe Azevedo atacante América

Felipe Azevedo teve problema com os números da sua camisa, que soltaram, e precisou pegar a peça do reserva Yan Sasse emprestada

Por nota, o clube afirmou que o problema envolvendo a numeração está sendo apurado, mas que ela foi recebida da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que vai padronizar as artes dos algarismos dentro do novo protocolo da Série A.

Confira a nota do América:

O América esclarece, nesta nota, que os problemas ocorridos com alguns algarismos dos uniformes de jogo da partida contra o Corinthians-SP, na tarde deste domingo, não têm nenhuma relação com a Volt Sport, sua nova fornecedora de material esportivo, e nem tampouco com seus novos uniformes lançados na última quinta-feira.

O Clube recebeu os algarismos diretamente da CBF, dentro de um novo protocolo de numeração que a confederação estabeleceu para as partidas do Campeonato Brasileiro da Série A. Ressaltamos que foi mantida a mesma qualidade no processo de aplicação de números utilizado pelo Clube nos últimos anos. Contudo, alguns algarismos não apresentaram uma fixagem adequada.

Informamos que já estão sendo apuradas as causas para o problema ocorrido e as soluções para a aplicação dos algarismos nos próximos jogos.