A maior expectativa em relação a Diego Tardelli, apresentado na tarde deste domingo (16), no Mineirão, como reforço do Atlético para a temporada 2020, é em relação a sua função no time do treinador Rafael Dudamel. O venezuelano disse em coletiva, na Cidade do Galo, que pretende conversar com o atleta a respeito dessa questão.

No primeiro contato com a imprensa nesta terceira passagem pelo alvinegro, em entrevista na sala de imprensa do Gigante da Pampulha, Tardelli falou sobre isso. “Ao longo da minha carreira fui me adaptando a várias funções, até pela mudança dos esquemas. Gosto mais de flutuar o campo todo, até participando da marcação, mas é conversar com o Duda (Rafael Dudamel) aí”, revelou o jogador, mostrando inclusive intimidade com o comandante atleticano.

Diego Tardelli apresentação

Em sua entrevista coletiva de chegada ao Atlético, Diego Tardelli revelou que vai conversar com Rafael Dudamel sobre sua função no time comandando pelo treinador venezuelano

Nas duas passagens anteriores de Tardelli pelo Atlético ele realmente exerceu diferentes funções. Foi centroavante, atuou pelo lado do campo e até jogou como homem de criação. Mas os números mostram que sua vocação, pelo menos vestindo preto e branco, é mesmo pelo gol.

Sua menor media de gols marcados, mesmo assim numa temporada em que Jô e Alecsandro foram sempre os centroavantes, em 2013, foi de 0,34 gol por partida. Isso significa balançar a rede a cada três jogos.

arte

Sua melhor média de assistências, função importante para quem atua pelo lado do campo ou centralizado, na armação, foi 0,28, em 2011, mas foram apenas duas em sete jogos.

Em 2013, por exemplo, temporada em que sempre jogou sem ser a referência na área, apesar de ter sua pior média de gols (0,34), ela ainda foi superior às assistências, que ficaram em 0,21.

arte

Estreia

Ainda não se tem a confirmação em relação a estreia de Diego Tardelli, mas é muito provável que ela aconteça contra o Cruzeiro, em clássico com mando atleticano e marcado, incialmente, para 7 de março, um sábado, às 16h30, no Mineirão.

Mas essa partida pode mudar de horário ou dia, pois o adversário enfrenta na quarta-feira anterior o Boa Esporte, em Varginha, às 21h30, no Dilzon Melo, pela segunda fase da Copa do Brasil. Assim, não seria respeitado o prazo de 66 horas entre os dois jogos, mínimo exigido pelo Regulamento Geral de Competições da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).