A suspensão de Marco Polo Del Nero de todas as atividades ligadas ao futebol foi assunto evitado nesta sexta-feira (15) na sede da CBF. Praticamente nenhum diretor foi visto circulando pelo saguão da entidade. Os que passaram evitaram o assunto - caso do diretor de Governança e Conformidade da entidade, que chegou a dizer que a orientação "é não dar informações".

A tarde desta sexta-feira contou com a realização do sorteio da primeira fase da Copa do Brasil, evento que tradicionalmente costuma levar diversos presidentes de federações estaduais à sede da entidade. Dessa vez, contudo, nenhum foi visto na CBF.

Um dos poucos a aparecer foi André Megale, diretor de Governança e Conformidade da CBF. Mas ele não quis comentar a suspensão imposta pela Fifa a Marco Polo Del Nero. "A orientação nossa do compliance é não dar informações... A assessoria de comunicação vai fazer uma comunicação única e oficial", limitou-se a dizer.

Marco Aurélio Cunha, coordenador do futebol feminino da CBF, preferiu enaltecer a gestão de Del Nero. "Veja bem, a CBF é uma instituição com vida própria, funcionários exemplares, uma direção moderna, com o que há de melhor em termos de gestão profissional", afirmou. "Não me cabe discutir (a suspensão), eu sou funcionário da CBF. Trabalho com o futebol feminino, que ele (Del Nero) tem dado excelente contribuição, nunca ninguém fez isso. A minha expectativa é que isso seja um transtorno passageiro."

Diretor de competições da CBF e responsável pelo sorteio da Copa do Brasil, Manoel Flores também se esquivou. "A coisa continua, e qualquer assunto dessa natureza a nossa assessoria de imprensa vai tratar de forma oficial, como tem que ser", disse.

Até o meio da tarde, a CBF havia apenas divulgado um comunicado protocolar, de quatro linhas, sobre o assunto. "A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informa que recebeu nesta sexta-feira (15) a notificação da decisão do Comitê de Ética da Fifa, determinando a suspensão por 90 dias do presidente Marco Polo Del Nero. A entidade informa que, em cumprimento à citada decisão e em linha com seu Estatuto, o vice-presidente Antônio Carlos Nunes de Lima assume interinamente a Presidência", diz o texto.