Duas décadas. Esta é a diferença de idade entre Rodrigo Santana (36), técnico interino do Atlético, e Mano Menezes (56), comandante do Cruzeiro e técnico mais longevo da elite do futebol brasileiro. Neste sábado (20), a partir das 16h30, ambos estarão à beira do gramado da Arena Independência com um mesmo objetivo: ser campeão estadual.

Em 1987, quando Mano gozava dos primeiros meses como treinador, exercendo a função de educador físico no setor social do SESI Rio Grande do Sul, Santana, aos 5 anos, dava os primeiros chutes na bola, vestindo a camisa do Portuário de Santos, escolhinha localizada na cidade-natal.

Em 2011, quando o técnico da Raposa - que defendeu equipes amadoras do Sul do país como zagueiro - comandava a Seleção Brasileira, o sucessor temporário de Levir Culpi, aos 28 anos, vivia o primeiro momento já como ex-jogador profissional.  

O então meio-campista do Pinheiros-SC teve uma lesão na mão e precisou engessá-la, ficando três meses entregue ao departamento médico. Neste período, Rodrigo foi convidado para ser auxiliar técnico do Camboriú, também de Santa Catarina, e deu fim ao seu ciclo como atleta, iniciando assim a carreira de treinador; dentro das quatro linhas, ele atuou por vários times da região Sul e Nordeste do Brasil, além de curtas passagens por Bolívia e Hungria.

Neste fim de semana, em pé de igualdade, o atleticano e o cruzeirense usarão seus conhecimentos para dar a volta olímpica no Horto; cabe lembrar que, apesar da maior experiência de Mano, Rodrigo o superou em 2017, quando comandava a URT, e foi eleito como o melhor da função naquela edição do Mineiro.