Depois de quase uma década, Cuca volta ao Atlético e, coincidentemente, chega à Cidade do Galo na próxima semana carregando praticamente os mesmos desafios que o acompanhavam em agosto de 2011, quando iniciou sua primeira passagem pelo clube.

Cuca Atlético

Cuca fez história no Atlético e foi seu time o responsável pela máxima "caiu no Horto, está morto!", que embalou o Galo em cinco temporadas, entre 2012 e 2016, com o clube conquistando o brigando por grandes taças

A única diferença é que ele não tem a tarefa de salvar o time do risco de rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro, pois em 2011 isso era obrigação.
Tirando a chance de queda, o treinador chega com um cenário que incluiu o trio longevidade, buscar uma grande taça e administrar um grupo com estrelas, algo que ele começou a viver na primeira passagem pelo Atlético em 2012.

Tempo

Neste século, só Cuca conseguiu começar e terminar uma temporada no Galo. E isso aconteceu duas vezes, em 2012 e 2013, quando ele deixou o clube para assumir o Shandong Luneng, da China.

Essa transferência foi acertada durante a preparação do time para a disputa do Mundial de Clubes, no Marrocos, o que rende críticas e até resistência ao treinador por parte de atleticanos até hoje, mesmo depois de mais de sete anos.

Agora, o seu retorno é com um contrato por duas temporadas, podendo ser prorrogado por mais uma. E ele pode seguir como o único a viver uma temporada inteira no Galo, sendo que isso só será possível em 2022, pois em 2021 a equipe já disputa seu terceiro jogo pelo Estadual no próximo domingo, contra o Uberlândia.

Estrelas

Na sua primeira passagem pelo Atlético, Cuca teve de comandar um grupo com várias estrelas, a maior delas Ronaldinho Gaúcho, que veio para a Cidade do Galo num episódio em que ele teve participação decisiva, até pela amizade com Assis, irmão do craque e que foi seu companheiro nos tempos de jogador no Grêmio.

Um time com Hulk, Nacho Fernández, Guilherme Arana, Eduardo Vargas, Junior Alonso, aguarda a chegada do novo comandante.

Grande taça

Quando Cuca chegou ao Atlético, o clube ainda não tinha conquistado uma grande taça no século 21. Ele deu início ao momento mais glorioso da história atleticana.

Antes disso, teve um grande fracasso, a goleada de 6 a 1 para o Cruzeiro, na Arena do Jacaré, na última rodada do Brasileirão de 2011, quando com um empate o Galo decretaria o rebaixamento do rival.

Em 2012, começa a mudança de rumo alvinegro, que tem como marca principal a Libertadores de 2013, conquistada com Cuca no comando, sendo com ele ainda o único bicampeonato estadual do Galo no século.

Já são seis anos sem que o Atlético ganhe um grande título, sendo o último a Copa do Brasil de 2014. O alto investimento tem isso como objetivo e, agora, a expectativa de que Cuca seja o comandante neste caminho.