O fim do primeiro turno do Campeonato Brasileiro escancara ainda mais o pesadelo do Cruzeiro que luta arduamente contra o rebaixamento. Com apenas 18 pontos e aproveitamento de 31,6% na primeira etapa desta edição da Série A, o time celeste registrou seu pior desempenho nas 19 rodadas iniciais da competição desde 2006, quando o torneio passou a ser disputado no atual formato de 20 clubes.

Os 18 pontos conquistados neste ano ficaram abaixo daquela que até então havia sido a pior campanha, em 2016, quando o time estrelado somou um ponto a mais (19) no fechamento do turno.

A má fase teve um novo capítulo com a derrota por 1 a 0 para o Palmeiras no fechamento do turno do Brasileiro. Resultado que levou o time estrelado à zona de rebaixamento, porque o Fluminense venceu o Corinthians e ultrapassou o Cruzeiro nos critérios de desempate. Com isso, cresce a tensão em mais uma semana de trabalhos na Toca II.

Na próxima rodada, o time encara o Flamengo, no Mineirão, no sábado (21), às 17h. O rubro-negro é o líder do campeonato, com 42 pontos.

Onda de protestos

Na semana passada a Máfia Azul, maior torcida organizada do clube, iniciou uma onda de protestos que aconteceu na porta das sedes do Cruzeiro e até em frente a casas dos principais dirigentes do clube. 

Houve movimentação com faixas e foguetes nas moradas do presidente Wagner Pires de Sá, do vice-presidente de futebol Itair Machado e do diretor-geral Sérgio Nonato.

Após a derrota para o Palmeiras em São Paulo, os Redutos Celestes, grupo de torcedores que se reúne longe de Belo Horizonte para torcer pelo Cruzeiro, se mobilizou no Brasil e no exterior para cobrar a renúncia da diretoria estrelada.

Diversos redutos postaram fotos em várias cidades, como Lisboa, em Portugal, Buenos Aires, na Argentina, Salvador, Maceió, São Luís, dentre outras, pedindo a saída da diretoria.

“O Cruzeiro é maior que qualquer membro da diretoria. Objetivo do protesto é apoiar a saída dos que não estão nada preocupados com o futuro do clube”, disse Michel Rangel, líder dos Redutos Celestes e integrante da “Natalzeiros”, torcida na cidade de Natal (RN).