Radicada em Belo Horizonte desde o fim do ano passado, a nadadora pernambucana Joanna Maranhão lançará nesta quarta-feira (28) o projeto social "Emancipa Esporte", voltado para crianças carentes da capital mineira.

O objetivo é oferecer aulas de natação gratuitas, em parceria com professores formados e estudantes universitários de Educação Física, a cerca de 80 meninos e meninas de entre 8 e 12 anos de idade.

A gente começa devagarzinho a construir uma oportunidade pra quem nem chegaria perto de uma piscina através do sistema atual"

Joanna Maranhão

A metodologia será desenvolvida com o apoio do preparador físico Gabriel Quinan, responsável pelo treinamento de alto rendimento de Joanna no Centro Esportivo da UFMG (CTE).

O programa será sediado na Apcef (Associação de Pessoal da Caixa Econômica Federal), na região da Pampulha. E, além do aspecto esportivo, terá foco também na formação social dos beneficiados.

"É um fato que a natação é um esporte elitista e praticado em sua maioria por crianças de classe média para cima. Também é um fato que a nossa crise nos esportes aquáticos é antes de tudo moral, e precisa ser combatida com educação, além de treinos e recursos", justifica a atleta de 30 anos.

Considerada a principal nadadora do país, Joanna é dona do melhor resultado da natação brasileira em Jogos Olímpicos (quinto lugar nos 400 metros medley, em Atenas-2004) e é a recordista do país em oito provas olímpicas.

Missão social

Desde 2014, Joanna Maranhão mantém ainda a ONG "Infância Livre", no Recife (PE). Lá, o trabalho é voltado para a conscientização e prevenção contra a pedofolia. Na capital mineira, o judoca Luciano Corrêa, marido da nadadora, também já havia criado um projeto social, o "Esportes Sem Fronteira", em 2012.

"Esse é o meu sonho, e a vida cruzou meu caminho com o de outras pessoas que também têm esse sonho. A gente começa devagarzinho a construir uma oportunidade pra quem nem chegaria perto de uma piscina através do sistema atual", conclui a esportista.

O lançamento do "Emancipa Esporte" está marcado para as 19h30, na Apcef (Rua Expedicionário Celso Racioppi, nº 185, Bairro São Luiz), com entradas limitadas.

Leia mais:
Entrevista: Joanna Maranhão aponta 'ditadura' na CBDA e mau uso de verbas na Rio-2016
Quatro 'mineiros' são convocados para o Mundial de Natação da Hungria, em julho