Quando se fala de 1982, na memória do brasileiro logo vem a decepção com a Seleção comandada por Telê Santana na Copa do Mundo disputada na Espanha. Contudo, para dois treinadores que se destacam na atual edição da Série A, o ano é especialmente positivo. Em janeiro, Luiz Felipe Scolari, atualmente no Palmeiras, assumia pela primeira vez a função, deixando as quatro linhas para dirigir o CSA, de Alagoas. Em maio, Rodrigo Santana, interino do Atlético, vinha ao mundo numa maternidade em Santos.

Adversários neste domingo, o segundo técnico mais velho da Primeira Divisão, com 70 anos e alguns meses a menos que Geninho, e o mais jovem, com 36, brigarão pelo topo da tabela da competição mais importante do país.

Enquanto Santana ostenta 100% de aproveitamento e a liderança, com nove pontos conquistados, Scolari vem logo em seguida com dois a menos e, como atual campeão, busca retomar o lugar em que encerrou a 38ª rodada em 2018.

“O Luiz Felipe é mais um grande exemplo para mim, principalmente por ter começado em times menores. Pela sua competência e dedicação, cresceu na carreira e venceu tudo o que podia como treinador”, comenta Rodrigo ao Hoje em Dia.

“Eu o admiro muito como profissional e pela forma que consegue lidar com os grupos que trabalha”, acrescenta.

E o comandante alvinegro já conta a torcida de uma das suas referências. “Muito importante dar o primeiro passo. Acreditar nas suas convicções e manter-se firme. Desejo que o Rodrigo Santana seja mais um jovem promissor que consiga desenvolver uma boa e longa carreira”, afirma Luiz Felipe Scolari sobre o início de carreira do adversário deste domingo.

No dia do confronto, inclusive, Rodrigo Santana completará um mês no cargo. Escolhido pela diretoria para assumir temporariamente a vaga deixada pelo demitido Levir Culpi, ele soma sete jogos.

Apesar da perda do título estadual para o Cruzeiro e a eliminação na fase de grupos da Libertadores, torneio em que trabalhou apenas em dois jogos, Santana conseguiu dar vida nova ao elenco e, no Brasileiro, vem de três vitórias seguidas, duas delas fora de casa. Outra conquista foi a classificação para a Copa Sul-Americana, ao derrotar o Zamora, na Venezuela.

Completando oito anos como técnico, o primeiro em um grande clube, o santista enfrentará, a partir das 16h de domingo, um profissional que se acostumou a ganhar títulos. A dupla tem encontro marcado no Mineirão.

Do campo ao comando

Contratado pelo CSA em 1981, como zagueiro, Scolari conquistou seu primeiro título como atleta em Alagoas. Após levantar o caneco do Estadual, pendurou as chuteiras aos 33 anos e, no ano seguinte, assumiu o comando do Azulão em sete partidas do Brasileiro.

Por aquelas bandas, o hoje multi-campeão conquistou apenas uma vitória, sofreu duas derrotas e outros quatro empates.