Conciliar o talento com os conselhos dos mais experientes e jamais esquecer suas raízes. A fórmula do volante Neto para honrar as cores do Atlético está pronta e sendo colocada em prática. O prêmio do empenho do prata da casa veio com seu primeiro gol como profissional, nos 2 a 0 sobre o Athletico-PR, nesse domingo (1), no Mineirão.

"Com certeza (esse gol) vai para minha família, todo mundo na Bahia, amo todos eles e tenho muita saudade. E à minha namorada, que está aqui comigo. Somente eles, as pessoas do meu lado, sabem do que passei para tirar essa alegria do peito”, destacou ele, fazendo uma pausa, antes de continuar o comentário.

“Fico até meio emocionado para falar, porque a gente sabe tudo que precisou fazer e batalhar todos os dias. É para você, família, sempre vai ser para você", complementou.

Conselhos

Léo Silva, Victor, Éder Aleixo, Marques e Leandro Zago foram alguns profissionais que ajudaram Neto com orientações no dia a dia.

"Leonardo Silva é um cara extraordinário, me chamava e conversava. O Éder me deu vários conselhos. Quando subi, o (ex-gerente) Marques e o Leandro Zago (técnico dele na base), também. A todos que estavam no Atlético, na época em que eu estava na base, só tenho a agradecer. O jogador não pode esquecer da sua essência, a quem sempre te ajudou. Não tem por que não escutar o conselho de um Léo Silva ou de um Éder. Você tem que ouvir, sim, esses conselhos. Não tem segredo. Cada um tem seu talento, mas, ouvindo essas pessoas vividas no futebol, não tenho dúvida de que terá sucesso como atleta e pessoa", disse.

Com relação a Victor, ele faz questão de relembrar um episódio em especial. 

"O Victão é um cara sem palavras. Nunca vou me esquecer de um dia no vestiário, contra a URT. Um zagueiro foi expulso, e eu fui para a zaga. Ele (Victor) me deu bastante moral no vestiário, falou da minha personalidade, e levo isso para minha vida. É um ídolo da Massa e está diariamente nos ajudando aqui, dando suporte a quem precisa”, afirmou.

Briga no setor

Gradativamente, Neto vai conquistando seu espaço no elenco alvinegro, visando também à titularidade, numa briga com vários de seus ídolos no esporte.

"Respeito todos (os volantes), sou fã de todos, jogadores de nível de seleção. São ídolos para mim. Vou na busca pela minha oportunidade. Se Deus quiser, vão aparecer mais. Com o elenco e a estrutura que temos, estamos sendo premiados neste ano", declarou.

Atlético

Leia Mais:
Aos 18 anos, Neto marca primeiro gol com a camisa do Atlético
Galo bate Athletico-PR, alcança sétima vitória seguida e cola de vez no Palmeiras
Vargas encerra jejum de mais de dois meses e meio sem gol pelo Atlético