Neymar prestou depoimento à Polícia Francesa nesta terça-feira (24) e, por isso, chegou atrasado ao treino do Paris Saint-Germain. O atacante entrou em campo às 16h20 (horário local), segundo o Le Parisien, cinco minutos depois do início das atividades sob o comando do técnico Thomas Tuchel.

O treinador confirmou que liberou o jogador para resolver um assunto pessoal. Neymar depôs no caso em que é acusado de agressão por um torcedor do Rennes. O atacante deu um empurrão em um homem identificado apenas como Nelson após o PSG ser derrotado na final da Copa da França, no dia 27 de abril deste ano.

Nelson prestou depoimento há três semanas e o jogador já havia sido convocado há algum tempo. A agressão aconteceu pouco antes da cerimônia de entrega das medalhas pelo segundo lugar na competição. O torcedor do Rennes provocou outras atletas, mas apenas Neymar respondeu de maneira agressiva.

Após o ocorrido, Neymar admitiu o erro em uma postagem nas redes sociais. "Estou errado? Estou. Mas ninguém tem sangue de barata", escreveu o atleta no Instagram.

O comandante do PSG confirmou que o atleta havia sido liberado para prestar depoimento nesta terça. "Sabíamos disso. Ele tinha permissão do clube", afirmou Tuchel, que relacionou o craque para o jogo contra o Reims, nesta quarta-feira, no Parque dos Príncipes, em Paris, pelo Campeonato Francês.

O atacante marcou gols nos dois jogos que fez pelo PSG nesta temporada europeia, que ele começou a disputar com atraso porque o clube resolveu não utilizar o atleta enquanto ele não resolvesse o seu futuro. E isso só foi definido no dia final da janela de transferências europeias, quando ele teve confirmada a sua permanência na equipe francesa após o fracasso das negociações do Barcelona para contratá-lo.

Neymar garantiu os triunfos sobre Strasbourg e Lyon, em ambas as ocasiões com dois golaços marcados no fim dos jogos. "Ele ainda pode fazer melhor. É apenas o segundo ou terceiro jogo em quatro meses. Para que ele possa fazer melhor e fará melhor porque ganhará capacidade física. Mas ele é sempre decisivo, sempre pensa em avançar, em atacar. Precisamos de jogadores assim em jogos difíceis", disse Tuchel.

Será mais uma oportunidade de Neymar atuar diante do torcedor do PSG. No último encontro, o jogador foi bastante hostilizado. Nesta terça-feira, em entrevista ao jornal inglês Mirror, o brasileiro admitiu que cometeu erros na carreira. "Errei várias vezes, e recuperar a confiança das pessoas custa caro", disse o atacante, em entrevista ao diário inglês.

Segundo o Le Parisien, o atacante terá de depor novamente na sexta-feira, só que desta vez em Barcelona, no processo contra o ex-clube. O atacante cobra 26 milhões de euros (cerca de R$ 119 milhões) pela assinatura de um contrato antes de se transferir ao PSG. O time catalão pede 75 milhões de euros (aproximadamente R$ 343 milhões) do atleta na mesma ação.