Intervalo do jogo no Mineirão. O Atlético perde por 1 a 0 para a Caldense e tudo o que o time de Rafael Dudamel ainda não consegue fazer é empolgar a torcida. Acompanhado pelas jogadoras do time de futebol feminino, Diego Tardelli entra em campo para ser apresentado à torcida que estava no estádio.

E o grito que ecoa pelo Gigante da Pampulha é mais que uma saudação. É praticamente uma suplica: “Taaarrrdeeeeliiii, gol, gol”. A bola na rede está sendo um problema para os atacantes do Atlético neste início de temporada.

Nas Copas Sul-Americana e do Brasil o clube ainda não marcou. No Estadual, competição em que o Galo encara equipes de um nível técnico bem inferior, os defensores têm mais gols que os atacantes.

O gol de empate, no início da segunda etapa, numa cabeçada do zagueiro Igor Rabello, foi o quinto de um jogador do sistema defensivo da equipe de Rafael Dudamel. Antes tinham marcado Fábio Santos (2), Mailton e Gabriel.

Atlético

Os atacantes fizeram quatro gols, com Di Santo (2), Bruno Silva e Marquinhos, sendo que os dois primeiros são centroavantes.

Num determinado momento da etapa final, o Atlético chegou a ter Ricardo Oliveira, que voltou a ser titular e completou o 15º jogo consecutivo sem balançar a rede, o que ele fez apenas uma vez nas últimas 31 partidas disputadas pelo Galo, ao lado Di Santo. O efeito disso foi nulo e o Pastor acabou sacado para a entrada de Otero.

Na reta final do confronto, o time de Dudamel, que cede contra-ataques demais aos adversários, acabou sofrendo o 2 a 1 num deles. E deixou o Mineirão vaiado pelo menos de 15 mil torcedores que foram ao estádio e deixaram o Gigante da Pampulha ainda mais preocupados com o futuro atleticano.