A venda do zagueiro Edu, de 19 anos, do Cruzeiro para o Athletico-PR nesta quinta-feira (4), é uma evidência de uma nova ordem que começa a se instalar no futebol brasileiro. Em número de títulos, a Raposa ganha de goleada. Em situação financeira atual, o Furacão atropela. Isso porque os paranaenses terminaram 2019 com o maior lucro do futebol brasileiro, com R$ 63 milhões sobrando na operação receita menos despesas. Os celestes, neste ranking, ocupam a lanterna, com o prejuízo recorde e impressionante de R$ 394 milhões.

Edu ex-zagueiro do Cruzeiro

Revelação das categorias de base do Cruzeiro, o zagueiro Edu deixa a Toca da Raposa II e vai defender o Athletico-PR

Na negociação entre os opostos, a promessa da base cruzeirense deixou a Toca da Raposa II e foi paara o CT do Caju. Pela venda, o Cruzeiro recebe cerca de R$ 3 milhões, mais ou menos o valor de uma folha de pagamento do clube nesta temporada. Além disso, segue com 15% dos direitos econômicos de Edu numa venda futura.

A primeira tentativa do Athletico-PR foi por Cacá, titular do time de Enderson Moreira e principal revelação cruzeirense no desastroso ano de 2019. O jogador se valorizou e o valor oferecido pelos paranaenses foi considerado baixo pelo Conselho Gestor no início de 2020.

Após vender o zagueiro Robson Bambu, de 22 anos, que pegou no Santos, ao Nice, da França, por R$ 47 milhões, o Furacão destinou pouco mais de 6% deste valor para tirar Edu da Toca da Raposa II.