Em seu primeiro ano na Ferrari, Sebastian Vettel foi quem mais ameaçou o domínio da Mercedes em 2015 ao vencer três provas no último campeonato. Apoiado por esse bom início e também pelo desempenho consistente na pré-temporada, o alemão não esconde que está otimista para uma disputa mais acirrada com os adversários, garantindo que ao menos estará mais próximo dos carros de Lewis Hamilton e Nico Rosberg já a partir do GP da Austrália.

"O que eu acredito é que nós podemos estar mais perto na corrida do que fomos nas últimas corridas de 2015. Com 21 corridas em uma temporada muito longa - se estou certo, é a temporada mais longa de todos os tempos -, nós temos um pouco de tempo se o início não for 100% perfeito. Mas é claro que espero que a gente dará aos fãs boas batalhas", disse.

Vettel, inclusive, revelou esperanças de até mesmo superar a Mercedes já durante este fim de semana. "Em um mundo ideal não roda a roda, mas na frente. Mas vamos aguardar e ver o que as sessões de treinos nos trazem. Então, todos nós veremos as coisas um pouco mais claras", afirmou.

Reiterando que em 2015 o objetivo já era ser campeão mundial, Vettel destacou que essa é a meta da Ferrari para 2016. "Bem, na última temporada foi, naturalmente, diferente como a equipe vindo de uma difícil temporada de 2014 e as expectativas não eram muito altas - e se existissem expectativas então nós as excedemos. Mas quando você terminar na segunda posição no campeonato de construtores, é natural que você queira dar esse passo final para a primeira. E então você começa a falar sobre o desejo de estar na frente e trocar de papéis: de caçador a caçado", comentou.

O piloto da Ferrari admitiu apreensão com o novo sistema de classificação dos treinos, com a eliminação dos mais lentos durante as fases da atividade. Ele será adotado já a partir do GP da Austrália.

"O fato de que ninguém realmente sabe como vai ser, na realidade, não é uma situação muito positiva, pois traz um pouco de confusão. Mas agora todos nós temos de lidar com isso e sábado à tarde vamos saber se funciona. O que eu realmente espero é que, no final do treino de classificação ainda seja o piloto mais rápido que esteja na pole position", concluiu.