A procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva já solicitou as imagens da entrada do meia Anselmo, do Joinville, em Jesus Dátolo, para possível denúncia. O juiz Raphael Claus não penalizou o agressor com cartão de nenhuma cor. Entretanto, tal fato não impede o atleta de virar réu. Ainda não há prazo para a marcação do julgamento, uma vez que é preciso oficializar a denúncia.

"A Procuradoria sempre analisa todas as partidas de cada rodada do Campeonato Brasileiro de cada Série. Para confirmar se houve ou não infração, foram solicitadas imagens do lance entre Anselmo e Dátolo, porém somente após analise é que saberemos se haverá ou não denúncia", informou a Assessoria de Imprensa da Procuradoria do STJD.

Pela evidência em vídeo, as chances de haver denúncia contra o jogador do JEC é praticamente garantida, uma vez que ele adotou uma "postura violenta qualificada pelo resultado da ação". Anselmo está sujeito a penalização de agastamento até o retorno de Dátolo, segundo o parágrafo 4º do artigo 254 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

"Na hipótese de o agredido permanecer impossibilitado de praticar a modalidade em consequência da agressão, o agressor poderá continuar suspenso até que o agredido esteja apto a retornar ao treinamento, respeitado o prazo máximo de cento e oitenta dias".

EM 2012

O Atlético já foi vítima do Tribunal ao ter um atleta punido por jogada violenta. Na ocasião, Ronaldinho Gaúcho foi punido com um jogo por elevar o pé na altura do atacante Kléber, então no Grêmio.

Ele foi qualificado também no artigo 254 do CBJD - Praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente. A decisão foi dividida. Posteriormente, a diretoria do Galo ficou furiosa - Alexandre Kalil - por descobrir que um dos auditores era flamenguista.